sábado, 1 de dezembro de 2012

Certas coisas passam batidas, mas jamais despercebidas

Essa é a frase de uma amiga minha e eu acabo sempre falando quando eu constato que mentiras bobas são para esconder outros fatos mais cabulosos. Pareço ser distraída e talvez seja mesmo, aliada com uma ingenuidade que está ali colada com as de uma criança de seis anos de idade. Minha cara mostra que eu estou divagando para diversos lugares sempre quando estou entediada e para alguns eu devo ser uma isca fácil para ser feita de trouxa. Como eu disse, muita coisa passa batido mas não passa despercebido e eu tenho boa memória para alguns detalhes. Talvez eu seria mais feliz se eu não tivesse, porque acabo remoendo tudo e criando teorias.

Mas isso me faz uma completa idiota? Acho que não, pelo menos não cem porcento. Acontece que, mais do que nunca, pessoas conseguem subestimar e é nessas eu vejo as pessoas mais espertas cometendo os deslizes mais inesperados. Boas delas se referindo a minha pessoa. Sinto dizer mas é engraçado de ver, ouvir e falar. Como é que tem gente que ainda não aprendeu que somos menos espertos do que imagina e o outro é bem mais capaz do que suspeitamos? Nunca é uma boa subestimar muito os outros, assim como não é muito bacana gritar aos quatro ventos de todos nossos poderes. Falo isso porque também cometo o mesmo erro, ok. Prepotência, a gente vê por aqui, mas muito menos que em outros lugares.

Era isso que eu queria entender, o que se passa por uma mente prepotente (olha a rima). Qual a sensação de ser passada pela perna?

Nenhum comentário: