sábado, 14 de novembro de 2009

Eu voltei...

Oi... tem alguém aqui?

Fala pessoas. Amiga Flávia falou: "Pri, eu gostava da época que você escrevia". Pois é, eu também gostava. Entrei pra dar uma re-lida nas coisas que eu escrevia e senti uma sensação estranha.

Cacilda, COMO MINHA VIDA MUDOU.

Por essas razões eu não escrevia mais. Minha vida deu uma mudada tão radical que nem consigo separar um tempo pra anotar as coisas mais bizarras que acontecem no meu dia. Tem coisas que de tão anormais eu acabo deixando passar batido, outras de tão mais anormais acabaram se tornando normais.

Esses dias estava lembrando o que ter um chefe. A maioria das pessoas com quem eu estudo nem sabem o que é isso, e eu ja tive. Bizarro não? Ano passado minha preocupação era acordar cedo. Nossa, na data de hoje isso também ocorre, mas naquela época eu ainda era acordada pelos berros da minha mãe. Hoje, eu tenho que deixar a janela do quarto aberto porque se não eu nem levanto. Te vira né guria.

Festa? Alguém ja me viu falando de festa? Vesh, ja ontem eu tava chorando aqui pelos corredores pq não ia sair. Ok, eu ja fiz isso em Itapetininga. A diferença é que eu ja fui em outra festa essa semana, e vou em mais tres semana que vem. Só que eu perdi o Tom e Arnaldo, dupla sertaneja. Pode? Eu gostando de sertanejo. E eu gosto sim! haha. E gosto de samba-rock. E gosto de rock (voltei a escutar metal!). E continuo detestando funk, mas fui no show do bonde do tigrão. PODE?

Profissão? Antes eu achava que ia trabalhar em hospital, ser enfermeira. Hoje, minha visão ta tão aberta. Eu lembro que reclmava do estágio, e até vieram pessoas me dizer que talvez eu não servisse pra enfermagem. Cacilda! Te contar. Hoje eu sei que a carreira de enfermagem pra mim ou é trbalhar no CCIH (centro de controle de infecções hospitalares) ou é pra ser pesquisadora mesmo. Foda-se aqueles que falam que " A verdadeira enfermagem"... pra puta que pariu mesmo. Eu só quero ir pro hospital se for pra andar de arezzo e cheirar 212 da Carol Herrera, e sair de lá desse jeito. Ué, não é atoa que larguei o curso técnico né.

Bofes? Num quis, num tem problema não. Não queira saber a quantidade de homem pra mulher em São Carlos. E quer saber, que historia é essa de "sonhar com médico". O Caceta. Primeiro que num me interesso por nnguem por causa de profissão e se um dia for pra sonhar... por favor me manda um Engenheiro ok! E não precisa ser um da Aeronautica, serve qualquer um.

Quer sabe, a guria que começou a escrever esse blog já tinha uma ideia do que ia ser a vida dela, só que ela não ficou parada. Graças que eu to aqui, curtindo a facul pakas, com um monte de projeto de iniciação e cursos pela frente. Tô me lascando pra caceta na faculdade (notas e provas e óooo a preguiça) mas to me divertindo a beça.

Um dia eu tive um intervalo de uma hora de uma aula para outra. O que fiz? Fui la pra piscina. Cheguei na outra aula MOLHADA e assisti a aula numa boa. Ah, um puta de um sol la fora e eu vou ficar morgando? Nem pensar, num sô tatu!

Bem... VAMO SIMBORA PRUM BAR. bEBER cair e levantar, beber, estdar e levantar, beber, cair e estudar.


P.S: Está é mais uma edição de Priscila MR, falando diretamente de São Carlos, terra onde MUITA COISA pode acontecer.

Um comentário:

Flávia A. disse...

Amei o post, AMEI!!! Isso é tão verdade,como a vida da gente muda!! Me vi falando certas coisas aí tb, eu gostando de sertanejo, achando normal sair sempre que possível, ir pra aula direto da piscina, acordar sozinha, fazer os horários...PUTA MUDANÇA DE VIDA!! E falaí,eh bom demais,neh?? Continue assim, Pri, cabeça aberta e força na peruca pq realmente...TUDO pode acontecer!!

Aquele abrax!