domingo, 29 de março de 2009

Cada mãe com sua (louca) mania

Cheguei em casa, mamãe me mima. Não mais que meu irmão, mas mima. Do nada chegou com camiseta nova, batinha. Eu não pedi, mas agradeço pelos presentes, foram de coração e eu não precisava, mas gostei.

Fui jantar só com ela na padaria chicosa da cidade. Fomos comer uma pizza e conversar. Então que ela começa com o festival. Me apresenta pra todo mundo, ainda fala "Pri, lembra de fulano?" com a pessoa na minha frente. E eu não lembro, não tenho memória ok!

Vou falar o que na cara da pessoa? Oi, não tenho a mínima idéia de quem você seja, mas foi bom te ver. Não dá né. Tem que fazer cara de que "lembro sim" e rezar pra dar uma bola dentro. Isso foram três vezes em uma noite só. Por que fazer isso comigo?

Hoje de manhã ela fez a compra no supermercado. Como é que eu vou levar tudo isso embora? Vou pegar carona com meu vizinho e provavelmente ele vai dizer "Ou é tudo isso ou sou eu, o motorista".

Minha mãe é uma fofa, mas tem cada uma.

sábado, 28 de março de 2009

Estou de volta pro meu sussego...

Pisando novamente em terras Itapetininganas, ô saudades. Então que a volta foi um tanto complicada. Resolvi voltar de última hora pra passar o fim de semana e peguei carona. Tive que dar uma volta, indo pra Sorocaba primeiro pra depois chegar até aqui. Então que foram três horas dentro de um carro, todo chicoso e pans. Algumas horas eu boiei na conversa dos outros caroneiros mas tem sempre uma música pra me distrair.

O problema foi o caminho Sorocaba-Itapê. Primeiro que eu fiquei UMA HORA morgando naquela rodoviária, isso porque cheguei cinco minutos DEPOIS que o ônibus saiu. A raiva foi la em cima, e eu estava com fome, então minha raiva estava realmente lá em cima. pensava em voltar pra casa e dormir gostosinho.

Acontece que há pessoas nesse mundo que me acham com cara de terapeuta. Vem cá, te conheço? Eu faço enfermagem e não psicologia. Mesmo que eu fizesse psico, eu COBRARIA pela consulta, pombas. Ai que uma campeã lá tinha diversas poltronas pra escolher. Mas não, ela queria sentar DO MEU LADO, justo do meu lado, só pra me contar o que raios ela faz em São Paulo e Patati patatá. Eu só pensava que era melhor não dar corda na louca, vai que ela tem uma arma, vai que ela quer me sequestrar.

Ai ela queria saber o que eu fazia em Sorocaba. Conversas assim do nada, e eu com cara de bunda respondendo. E eu não estava perguntando nada sobre ela e a FDP me contava de tudo. Passei meia hora segurando um fone de ouvido e o outro na orelha, tentando pensar na música e viajar. Uma hora não aguentei, comecei a bocejar por completo e encostei a cabeça no vidro. A tática do sono SEMPRE DÁ CERTO. Educadamente pedi licença (pessoas sensatas so teriam mandado a ser tomar no rabo, mas eu pedi pra dormir) e ela me liberou. Acontece é que eu fiquei mó cara olhando as estrelas.

Quando me vi... avistei meus pais. É curioso voltar pra casa. O mais curioso é que eu posso ter ido embora mas meu irmão continua o filho favorito. Como assim ele tem prioridade no computador? Ele usa todo dia, e eu que tenho que conviver com a lan house da facul? Eu quero meus direitos de filha favorita. Sou eu que passei numa Federal, eu que sou o orgulho da casa. Eu quero ser a Predileta. Quero almoço seguindo minhas vontades e tudo mais.

. Mal cheguei e engordei uns dez quilos só com três lanches (aleatórios) muito dos safados.Mal cheguei e tive que lavar ROUPA, mas este é um bom motivo. Pus pra lavar minha camiseta do Kit Bixo da Enfer. Magina que eu ia vir pra minha cidade e não ia desfilar com a minha camiseta? Qual a graça em fazer UFSCar se nao for assim?

ô doce Itapê, que bom é estar em casa.

quinta-feira, 26 de março de 2009

Rostos comuns em Sanca

Ouvi dizer que o povo gostou do festival das pessoas populares de São Carlos. Então eu fiz uma segunda edição muito bem detalhada das pessoas famosas que me rondeiam.

Este aqui é meu professor de Bioestatística. A cara do Camões.

O curioso é que ele é Colombiano, mora no Brasil há 20 anos, aprendeu o português e se recusa a falar DURANTE as aulas. Além de termos que nos virar nos números, temos que fazer um curso básico de espanhol.

Este aqui é meu vizinho. Versão Morena do HE-man.


O dia fica mais engraçado é que ele não desce escada, ele desfila. Já virou até amigo. Tara ran ran ran ran HE-MAN!

Este aqui é o Fofo da minha amiga.

O interessante é que ele joga RUGBY! Acha tênis pacifico demais.
Esse aqui é o Noberto. Mais conhecido como Nonô. Ele participou do...BBB. E bate o cartão la na SIn (Salas de Informáticas) da Federal.



Dia desses a galera ainda bate foto. Só não entendo o que ele quer fazer na Federal... uma chance na Imagem e Som? Sugiria procurar o Teatro de Bolso.

segunda-feira, 23 de março de 2009

Meu trabalho: Por que escolhi a Enfermagem

Na falta do que postar, vou colocar meu primeiro trabalho de enfermagem, da matéria trabalho de enfermagem. Vamos la:

Trabalho de enfermagem - Por que escolhi a Enfermagem

Quando eu era criança, meu pai costumava me proibir de sair para a rua em que morava a partir das seis horas da tarde e justo naquele dia eu o desobedeci. Meu plano era pegar minha bicicleta e ir embora para nunca mais voltar. Veja bem, aos oito anos de idade costumamos pensar demais em fugir de casa.
Fui passear na praça da antiga Santa Casa, hoje Hospital Regional. Pela primeira vez estava à noite na rua e meu pai não poderia brigar mais comigo. Então fui atravessar a avenida e vinha um carro desgovernado em minha direção. Para desviar dele, cai pelo chão. Ainda bem que não fui atropelada, precisando de apenas alguns curativos simples.
Mas quando o carro parou na frente do Pronto Socorro, percebi o motivo do desespero do motorista. No banco de trás estava uma moça em trabalho de parto. Aquela cena me marcou muito. Um policial amigo do meu pai me reconheceu e me levou de volta pra casa. Além da briga com meu pai, fiquei marcada pela cena que vi. Achei muito legal a atuação dos profissionais da saúde. Queria ser como eles, sérios e rápidos.
Passei a gostar da área de saúde. Participei do grupo de bombeiros mirins da minha cidade. Na televisão, sempre fui fã de programas com temática médica. Na rua de casa ainda moram algumas enfermeiras e técnicas ; assim, com o passar do tempo, fui me identificando com a profissão devido a influência deles. Aos 15 anos entrei no magistério, estudando sobre crianças, mas com planos de me formar e fazer faculdade de enfermagem.
Com o passar do tempo passei a sentir um receio da profissão. Meu forte não é as matérias de exatas, e estudei biologia por conta própria. No ano em que fiz cursinho acabei optando por Psicologia. Prestei por dois anos seguidos e não conseguia por pouquíssimos pontos.
Ficava triste pois este curso não era exatamente o que eu queria, mas na minha cabeça seria o mais fácil. No meu penúltimo dia de vestibular, acabei refletindo que na verdade queria Enfermagem, mas tive medo de tentar. Acabei passando em enfermagem em uma faculdade particular mas não fiz por questões financeiras. Optei por fazer técnico em enfermagem na minha cidade e passei a me sentir mais confortável com a minha escolha. Retirei parte das dúvidas a respeito dessa profissão, percebendo que queria trabalhar como uma enfermeira graduada.
Ano passado criei coragem e fiz o tão temido vestibular. Acho que o universo conspirou ao meu favor e desta vez estou em São Carlos. Escolhi a UFSCar principalmente pela chance de poder trabalhar na área da Saúde Pública e também de dar continuidade a minha profissão de professora.




sexta-feira, 20 de março de 2009

Mestres uaaaula!

Este é meu professor de bioquímica



A boa notícia é que fatos confirmam é que ele é coxa. A ruim é que ele só veio substituir uma outra professora. A péssima é que ela é TENSA.


A ótima noticia é que este é meu professor de Anatomia:
A terrível é que trata-se da matéria pesadelo do curso.
Detalhe: perdi a hora e não pude ir pra aula. Lascou-se.

terça-feira, 17 de março de 2009

Tome muito cuidado com o que diz

Ensaio da Bateria UFSCar, escolhida uma das melhores do estado, uma das mais bem ensaiadas. Momento único, em torno de umas duzentas pessoas, todos prestando atenção nas batidas no tambor e tudo mais. O coração faz até tum tum tum no compasso da música.

Só que eu cometi um belo deslize. A cabeça estava pensando tanto no livro que milagrosamente eu consegui que simplesmente não dei bola pra bateria. Seria passado despercebido a não ser por essa cena que vou narrar agora:

tum tum tá tum tum tá
Priscila: manola, consegui o livro de bioquímica
Manu: Ai mas e o de Anatomia?
tum tum tá tum tum tum tá
Priscila: Esse ai não, mas ...
tum tum táa... (silêncio)
Priscila: Eu vou dar um jeito de conseguir...

Digamos que não era o melhor momento de falar alguma coisa. Digamos que todo mundo olhou PRA MINHA CARA (principalmente porque eu estava na frente). Todo mundo riu, até o mestre soltou "O que será que ela vai conseguir?".

Altamente constrangedor. Precisei sumir dali de tão roxa de vergonha. Micos me perseguem.

segunda-feira, 16 de março de 2009

Apelidos

Ouvi dizer que tem uma menina da medicina que ganhou o apelido de RU(fala-se ru mesmo).
O que significa? Restaurante Universitário.

Mas a gente se pergunta o porquê do apelido. Será porque ela gosta de comer la? Não.

RU porque custa 1,80 e todo mundo come a vontade.

sexta-feira, 13 de março de 2009

Nesta terra de meo dels...

Não entendo porque São Carlos recebeu esse nome. Se era pra receber o nome de um santo católico, deveria ser São Pedro. Definitivamente. Se eu dissesse que aqui não pára de chover seria o suficiente, mas é pior. Durante uma tarde se tem as quatro estações do ano. Talvez existe a pretensão de inventar uma quinta estação pra definir o clima São pedren.. digo, são carlense.

A revolta de São Pedro pela sua não homenagem é jogar vários insetos na cidade. É a terra dos insetos. Se Darwin viesse pra São Carlos, em vez das ilhas galápagos, talvez ele até voltasse a acreditar na Bíblia. Perceberia que a praga dos insetos do Egito veio em peso pra .

As mães da cidade em vez de cantar músicas de ninar, cantam: Nana nenem que a aranha vem pegar, se não for ela escorpiões vem te picar. Ok, exageros a parte, isso acontece geralmente na moradia e nas ruas próximas ao cemitério. Passar por aquele lugar é pedir pra conhecer sapos e toda essa cambada de insetos.

Fora esses probleminhas técnicos a cidade é bem legal. É legal sim, podem vir conhecer. Vai ter show de uma bandinha meia boca lá no centro, uns tals de Beatles. Ouvi dizer que eles fazem muito sucesso na Inglaterra.

quarta-feira, 11 de março de 2009

Uma vez pagadora de mico, sempre pagadora de mico

Esta rolando a festa do calouro aqui na faculdade. Grandes Merdas. Eu acordo de manhã, levo meia hora na escada da beliche. Antes de mais nada, eu não durmo, eu faço rapel. Não duvido nada se ja não aconteceu mortes com a causa de "cai da cama", é mto alto a bagaça. Enfim, que desço daquilo na esperança de alguem um dia implantar um elevador.


Fui pro departamento de enfermagem, que este ano tambem acolhe as bixetes de gerontologia (curso X). Sobre o trote, tenho a dizer que foi pesado e ainda vou protestar com os reitores. Não foi o excesso de tinta, nao foi rolar no chão, não foi cantar o hino da GLORIOSA Federal. Foi o fato de terem misturado a gente com a medicina. Assim não pode né, Medicina não tem amigo!
Tanto não tem amigos que eles nos OBRIGARAM a ser amigos deles.



A segunda maldade feita pelos veteranos foi nos enfiar em um ônibus tocando NXZero. Pressão psicologica não da. O pedágio foi normal, até apareceu uma futura bixete de 2000 e la vai cacetada pra me ajudar a pegar dinheiro.

A cervejada foi com a civil. Pausa. Eu gosto de sair pra dançar ou sair pra barzinho (famoso esquema: sentar, comer, beber e conversar). Nesta festa não dava pra fazer nenhum dos dois. Era muito homem dando em cima das meninas, e essas fazendo graça. Sei que fiquei no canto com umas novas amigas e ficamos de boa. Descobri que eu sou uma ótima mentirosa, u menino MUITO DOIDÃO realmente achou que eu era portuguesa. Acho que passei da idade pra festas, mas me divirto da minha maneira. Se alguem achava que eu ia virar porra loka na facul, tira o cavalo da chuva pq eu virei ... eu to a mesma pateta de sempre.

Hoje rolou a gincana. Antes de mais nada, eu estou mega rouca. Minha voz ta um lixo mas mega engraçada. Algo daquele episódio que a Phoebe esta rouca mas acha a voz mais sexy e canta do mesmo jeito. Então que fui pra gincana e cantei. Pra um um estádio inteiro. Cantei SandyJunior. Acompanhada por um FDP que me fez pagar um mico felomenal. Sim, eu ainda pago king kong. Não saio mais da moradia depois dessa.

Enfim ja vou indo (adoro esses gerundismos) e vou fazer um mega esforço pra continuar escrevendo.

sexta-feira, 6 de março de 2009

ô que terra boa é essa ein!

Então que cheguei em Sanca com meus pais. Fui pra moradia da faculdade, deixei as coisas lá e bora pro centro procurar coisas pra comprar e pra fazer. O santo graal era na verdade uma luminária pra mesa.

Rodamos a cidade e NADA de luminária. Parece que todas as lojas da cidade entraram num acordo de não ter mais uma luminária. Algo do tipo: A partir de hoje, os estudantes terão que sobreviver a luz de velas. Bacana isso ein. Ai que eu e minha colega de quarto entramos numa loja que vende lampadas ou coisas assim.

Na procura de luminárias acabamos sendo iluminadas. Alem de um modelo tinha dois. Alem de um vendedor bonito, tinha três. Na compra do produto os vendedores vem de brinde? Opa gostei da ideia. Ai que prestei a atenção na beleza dos homens da cidade; é uma quantidade infinita de homem bonito por metro quadrado. Sem sacanagens com vocês leitoras (e leitores).

Revirando os olhos aqui na sala de computadores da facul, da pra se deliciar a quantidade de bafons. Anos e anos de azar em Itapetininga pra entender que a graça esta em São Carlos.

Uma última olhada...

Até parece que vou morrer. Não, não é bem assim. Mas quando a gente sente que tudo vai mudar; quando sabe que isso é inevitável, começa a ver as coisas de maneira especial.

Meu último passeio nessa cidade, como moradora oficial, foi corrido. Pareceu um dia normal, mas ao encontrar conhecidos sempre frisando: Amanhã to indo pra Sanca. Receber boa sorte. Perguntas frequentes do tipo: Você não está com medo não? Prefiro nem pensar. Mentira pura, não paro de pensar nisso.

Passei pela perfumaria e vi dois shampoos da Johnsons. Lembrei da minha sobrinha adotiva, a Maria Eduarda. Eu e a mãe dela somos vizinhas e sempre brincamos juntas, temos a mesma idade. A Duda sempre sorri quando me vê e sinto uma paz imensa quando pego ela no colo. Aquela coisinha gostosa anima meu dia. E eu nem vou ver ela aprendendo a andar. Parece que eu devia ter aproveitado mais essa coisinha linda que sempre quer pegar no meu cabelo.

Minha mãe não pára de correr de um lado pra outro. Meu pai e seus últimos conselhos "cuidado por onde você vai andar por lá". Quando eu disse que ia no cinema e voltar pela meia noite: Você nem devia sair hoje, pelo menos volte cedo e não volte sozinha, você se arrisca demais". Conselhos de pai, com certeza farão falta.

A cidade esta quente, isso porque eu considero a mais gelada do Estado de São Paulo. Andando pelas ruas para chegar na casa da Thata a gente percebe cada vez mais famílias saindo de suas casas. O calor que está castigando todo mundo obriga a se encontrar com os vizinhos, sentar nas calçadas e ver a criançada brincando.

Fui ver o Brad Pitt com a amiga Thaís e o compadre Rafael. Pareciam dois adolescentes. Será que aqueles dois estavam com alguma síndrome da falta de água na boca? Tinham que trocar saliva o tempo todo. O filme é legal, realmente tem furos no roteiro, se formos por no papel a idade deles não bate. Mas sério, vamos relevar, dar uma de crítica de cinema e não se deixar levar pela história.

Na saída, a Thaís comenta que vão trazer a C&A em Itapê, lá no shopping. Como assim? Pra quem é de fora e mora em cidade grande, não entende meu espanto. Mas são anos morando nessa cidade, indo pra Sorocaba e desejando "Puxa bem que podia ter na minha cidade". Agora que vou embora tá chegando?

Despedindo da amiga: Vê se me manda mensagem. Vê se me escreve. Não vamos chorar .

As coisas vão mudar. Eu vou mudar. Meus amigos vão mudar. Tudo pro nosso crescimento. Dizem que certas coisas não mudam, ainda não sei, não cresci o suficiente pra dizer: Nossa que coisa, isso aqui não mudou em nada. É esquisito, é estranho.

Será que estou fazendo o certo? Será que só fiz coisas erradas?Foram tantas bobagens que fiz, tantas que até coro em pensar. Eu devia ficar pra nada mudar? Não sei, só vou descobrir lá. Ai lembro que talvez em cinco anos eu diga a mesma coisa, Será que não podia ficar aqui pra sempre. Então vou fazer outra coisa e um novo ciclo vai começar.

Outros pensadores filosofaram melhor que eu sobre esse doloroso processo que é crescer. Talvez minha fase de crescimento veio um pouco mais tarde. Vou começar essa fase de faculdade quando há pessoas da minha idade que já terminaram. Melhor assim, penso eu que estou mais madura do que era a garota de antes. Chega de pensar nisso, neste momento é o melhor.

Nesses últimos tempos escutei cada coisa, tanto boa quanto ruim. Teve gente me dizendo que eu ia me dar bem, que as coisas iam sair conforme o que eu planejei porque lutei por tudo. Eu agradeci por essas. Mas escutei também coisas, como se eu fosse virar drogada, biscate, que ia chutar o balde por todos os anos de proteção do meu pai, ou que simplesmente não ia aguentar e voltar embora na primeira crise. Essas entra por um ouvido e sai pelo outro, mas atravessando o campo da memória. Enfim, ninguém sabe do futuro, tentarei traçá-lo da maneira que achar melhor.

Poxa, quem sabe eu volto, um dia eu volto mas só depois que a saudade se afastar de mim.

Pra vocês, um vídeo (indicado pela amiga Carol) que fala muito bem sobre essa fase que eu estou passando.



Beijos pra vocês!

quinta-feira, 5 de março de 2009

A vida é bem assim...

um dia você gosta de doce e no outro prefere salgados.

Quando eu era fedelha eu dançava Lambada. Isso mesmo, Llorando se fue e com saias rodadas.

Quando eu estava no terceiro ano, eu escutava metal com a amiga Thaís. Com vontade de andar de preto. Fiz até a pequena bobagem de comprar uma camiseta do Metallica. Passei a gostar da fã depois que eu vi um especial na MTV (piada pronta mode in) e achei que o passo da idolatria começava com a camiseta. Graças que parou no ouvir a coletânea deles.

Enfim, parece que o povo do Metallica fez uma versão do Beto Barbosa:



NAda como chegar aos 21 e unir duas fases da vida.

quarta-feira, 4 de março de 2009

Afilhados do Don Corleone

Um dos meus filmes favoritos é "O Poderoso Chefão". Diferente do resto do planeta, eu gostei mais do um do que do segundo, nem cheguei a assistir o terceiro.

Achei a montagem da cena do Michael matando o Solozzo e o polícial feita pelo LEGO:




Ta ai, gostei!

Mas a minha cena favorita continua sendo do "raio", quando o Michael conhece a Apollonia.

terça-feira, 3 de março de 2009

101 coisas sobre mim

Esta é minha última semana morando em Itapetininga. Em breve, São Carlos será a terra do "onde tudo pode acontecer". E não é que pode mesmo? Adorei o lugar. Pra mim, lá é grande sim, o suficiente pra eu morar. Não é uma metrópole, como São Paulo, nem muito pequena, como Sarapuí. Tem tudo o que eu gosto, e DUAS Universidades de peso. Digamos que terei "A" vida universitária.

Mas só de pensar ja fiquei com saudades de casa. Bem, vi este meme no blog da Andrea (ela achou que ninguem ia comentar hehe) e resolvi fazer também. Meu momento despedida. Talvez este seja o último post MORANDO em Itapê. Este será um post bem pessoal, pra quem não gosta disso, não diga que não avisei. Vamos lá então:

1- Eu gosto de escrever cartas. Tem gente que ri disso, ja que estamos na Era do e-mail. Mas adoro mandar e receber cartas. Tenho uma ótima amizade com a Mariana de Frutal atraves de cartas, outra amiga que está doente recebe minhas cartas pra se animar. Envio pra alguns amigos de maneira bem positiva pra animá-los. É uma coisa que me anima pakas.

2-Sempre pergunto o aniversário das pessoas de maneira bem discreta. Nem é pra dar presentes, mas é mania pra ver o signo mesmo. Ok, eu não acredito totalmente nessas coisas. Mas é mais pra ter uma idéia sobre a pessoa que converso, saber em que "terreno que estou pisando". Algo meio bobo, mas é minha mania.

3- Tive terceira dentição e usei aparelho por DEZ anos. Eu sei, um absurdo de tempo. Meu caso foi parar até em congresso em SP. Mas o resultado me agradou pakas. Acho que por isso que eu aprendi a gostar de sorrir tanto (adoro sorrisos).

4- Minha vida escolar é uma bagunça. Meu primeiro colégio estudei no Peixotão, acho que se continuasse lá provavelmente abandonaria a escola. Depois fiquei três anos no CEFAM (magistério) em que ganhava pra estudar, era período integral. No meu 4° Magistério, fiz cursinho de noite no antigo anglo. Quando me formei fiz um ano de cursinho no novo Anglo. Em 2007, fui pra FATEC de Sorocaba, não fiquei nem um semestre e voltei pra itapê, nessa que eu passei também na UFSCar pela primeira vez e não fui. Fiz cursinho pro banco do brasil e tentei a unesp, não consegui nenhuma delas. Fiz SENAC em 2008, e só agora que entrei na faculdade. Espero e muito que desta vez eu termine.

5- Ainda não sei se Enfermagem é exatamente o que eu quero. Mas não largo a faculdade por nada. Se o curso não der certo, eu remanejo para outro. Vestibular? tô fora.

6-Eu nasci no dia das bruxas. Mas ainda acho que meus pais confundiram a data do meu nascimento no cartório. Eles juram que eu nasci numa sexta feira mas dia 31 foi num sábado. Tenho que levar em consideração que papis estava bêbado e mamis em trabalho de parto.

7- Ja dublei Chiquititas, Spice Girls e Britney Spears na escola. Da um crédito porque eu só tinha 12 anos. Ok, Britney foi no CEFAM (isso era um king kong).

8- Eu não sou filha única. Tenho um irmão MALA, não nos damos bem e isso é briga eterna. As vezes é estilo "Brasil e Argentina" e as vezes é "Israel e Palestina". Não dá pra se ter amizade. Alias, até que dá, quando estamos vendo O MESMO PROGRAMA NA TV.

9- Quando fui fazer o concurso do Banco do Brasil, esqueci minha carteira com todos meus documentos na casa de uma amiga. Isso foi lá em Bauru. Eu sai de Itapetininga pra fazer a prova nessa cidade porque queria trabalhar no banco e estudar na UNESP. Resultado, não consegui nem um e nem outro. Talvez foi melhor assim, neste dia quase sofremos um acidente ao voltar pra casa.

10- Só peguei amizade com uma das minhas melhores amigas, a Thaís, depois de 5 anos estudando juntas. Nunca troquei a palavra com ela antes. Não iamos com a cara uma da outra. Pegamos amizade no CEFAM um dia quando não conheciamos quase ninguem e começamos a conversar. Somos amigas há sete anos.

11- Era uma aluna medíocre no CEFAM, simplesmente não gostava do método de ensino. Acho que era muito pivete naquela época e dizia que jamais queria ser professora. Agora quero ser professora de enfermagem.

12- Tenho medo de altura. Muito medo. De ser cagona a beça. Tenho medo de aranhas também, ja fui picada duas vezes.

13- Eu não sei dirigir. Na meia noite do meu aniversário de 18 anos, bati o carro do meu amigo num poste. Eu tinha bebido um copo de batida. O carro estava cheio. Estavamos a 20 km/h. Levei dois anos pra querer aprender a dirigir (foi a Brasilia da Thamyres) e só agora estou tirando carta. Só vou pegar em um carro em Julho.

14- Quando fui fazer faculdade em Sorocaba, morei com meus tios. Não deu muito certo. Eu sei que foi uma época ótima, tirando o fato que eu virei emo por dois meses. Juro-te, eu surtei por la.

15- Adorei a época que a Britney surtou. Eu estava tão magrinha. Ela foi melhorando, e eu engordando. Agora ela esta linda e eu estou um balão. Britney VOLTE A SER LOUCA!

16- Fiz ótimos amigos pela internet. Um dos primeiros meninos que fiquei apaixonadinha quando era mais nova só conheci por causa da internet. Vários destes amigos estão entre os melhores, sabendo coisas que nem as pessoas ao meu redor daqui sabem sobre mim.

17- A única briga que me meti foi aos 13 anos. Acho que bati mais do que apanhei. A menina me odeia até hoje. Ela foi bater em um menino mais novo da minha rua e eu não deixei. Ela me chutou e ai começou a briga. Só sei que acabei mordendo o braço dela e foi o maior fuzuê. Eu usava aparelho fixo naquela época. O braço da garota ficou roxo e com as marcas dos meus dentes por um mês. Mesmo assim, sempre fui pacifica.

18- Nunca gostei da Xuxa. Sempre fui mais a Mara Maravilha e o Serginho Mallandro.

19- Ja fui no programa da Luciana Gimenez, isso foi na época do CEFAM e nós, as meninas da escola, fomos. Só fui porque minhas amigas iam e disseram que ia ser de graça, ia ter jantar e passeio no shopping. Se arrependimento matasse... Mas posso dizer que a "Lu" tem cabelo ruim. O melhor foi ela fazendo merchan do Eno: Toma muito guaraná Dolly e depois toma Eno pra aliviar. É óbvio que essa parte não foi pro ar.

20- Aprendi a escrever com três anos. Mas acho que só foi com quatro que comecei a entender o que estava fazendo.

21- Fui adiantada na escola.

22- Sou a pior jogadora de futebol do mundo. E mesmo assim eu tentei.

23- Era muito zoada na escola, isso foi da primeira série do ensino fundamental até o 3° ano do CEFAM. Por isso minha adolescencia foi um lesho total. A coisa só acalmou quando resolvi ignorar todos ao meu redor e só ter amizade com poucos. Passei a ser mais reservada, com poucos amigos, mas sempre educada e mesmo assim tinha gente que não gostava de mim. Acho que sempre vai ter gente que não gosta de mim, por isso deixei de forçar amizades. Depois que passei a ser mais desencanada com isso ganhei a simpatia.

24- Eu queria aprender a cozinhar direito. As pessoas acham que minhas panquecas são gostosas. São a única coisas que sei fazer na cozinha.

25- Ao total me apaixonei 6 vezes na adolescencia. Foi o bandido, o riquinho, o bom-moço-com-uma-reputação-a-zelar (e com uma namorada chatérrima), o metaleiro mala, o puto, o feioso-que-se-achava e o... frutinha. É eu tenho dedo podre pra homem. Na minha fase pós-adolescencia não me apaixonei por mais ninguém, só tive interesses. O interessante que foi justamente nesta última fase que tive a minha maior decepção amorosa. E eu nem gostava do cara.

26- Fui bem magrinha até os 12 anos de idade. Depois disso engordei muito. Deve-se a isso ao fato de eu pensar "Eu sempre vou ser magra assim mesmo então posso comer de tudo". O mundo dá voltas...

27- Passo muito mal em viagens. Quando fiz vestibular em 2005, vomitei no colo de um menino que queria fazer medicina. O interessante que hoje ele faz Direito.

28- Ja fugi pra São Paulo com uma amiga quando tinha 17 anos. Ficamos quatro dia no flat do ex-namorado rico da outra amiga. Até hoje minha mãe quer saber "O que diabos foi aquela vez que você sumiu falando que foi pra Sarapui, se seu pai descobri isso...". Só fomos passear no shopping e andar de metro.

29- Acho que na real só fui pra FATEC porque me apaixonei platonicamente por um menino de lá. Ele era horroroso, e mesmo assim eu gostava dele. No final eu tomei um belo de um fora (porque virei uma stalker choramingona) e passei a detestar Sorocaba. Não entendo porque não fui pra São Carlos. Nunca consegui admitir isso antes. Cagada mór.

30- Uma vez, eu estava na Estação Aurora (uma balada que tinha aqui) tirando sarro de um painel de fotos que eles tinham lá com várias pessoas. Eu tirava sarro pra um conhecido como eles só colocavam fotos de gente "baladeira e riquinha da cidade". Eis que no meio do meu sarro eu vejo a minha foto lá.

31- Outra vez eu estava no supermercado da minha cidade. Lá tem umas fotos de umas pessoas idosas e eu jurava que era de Itapetininganos que tinham morrido. Até ai ok. Meu amigo fez a mesma pergunta quando estavamos la e dei essa resposta. Eis que eu vi a foto da minha Vó Cida. Gelei, principalmente pelo fato dela estar viva. Será que mataram a véia e não tinham me contado?

32- As minhas tias favoritas nem são de sangue.

33- Não tenho muita facilidade de ter amizade com meninos héteros solteiros, pelo menos não com os meninos daqui. Sempre foi meio superficial. Acho que isso é um problema comigo.

34- Adoro conversar com mulheres mais velhas. Alias adoro todas as reuniões de mulheres de todas as idades. É tão divertido, a gente fala bobagem e sempre tem algum assunto que faz a gente chorar e crescer.

35- Se eu fosse homem, acho que seria gay. Mulheres são amigas e não comida.

36- Eu não como carne de porco.

37- O lugar mais longe que ja fui na vida foi Taubaté. Quem sabe Iguape.

38- Faz dez anos que não sei o que é praia. E eu só fui pra Ilha Comprida.

39- Quando era criança usei bota ortopédia. Até hoje meu pé é chato.

40- A única mulher do mundo que me faz chorar duas vezes por mês é a Rosângela. Ela é minha depiladora.

41- A doença mais grave que tive foi gripe. Ela foi tão forte que o médico não conseguia chamar de pneumonia.

42- Ja fui internada por insolação.

43- Quase fui mordida por uma cobra quando tinha 16 anos. Acho que era uma jararaca. Eu sei que fiquei imóvel e quando ela foi me atacar meu pai deu uma paulada na cabeça dela. Peguei pânico por esse bicho.

44- Eu andava de Skate quando era pivete.

45- Jogava video game feito louca mas nunca consegui "dar final" no Super Mario 3, nem em nenhum dos Donkey kong.

46- Tenho quatro CD's do Sandy e Junior. Eu baixei o Acustico. Ok... acabou a piada. Sempre achei a Sandy chata, mas até que gosto das músicas deles.

47- Meu óculos é de grau 0.5, pra cada olho. Pergunta se eu uso ele.

48-Um menino achava que eu só fiquei com ele porque ele fazia Med. Ai se ele soubesse o quanto ele era gracinha. Pena que só falava bobagem na frente dele.

49- Eu mentia demais quando eu bebia antes. Hoje larguei a mentira e continuo bebendo.

50- Adoro ler. Mas não tenho livro favorito. Na verdade, só leio aquilo que me chama atenção. Nem autor favorito eu tenho.

51- Não sou fã de carteirinha de nenhuma banda, nem cantor, nem nada. Acho que gosto de música e não de quem faz a música. Pensamento meu, só meu. Música, pra mim, é estado de espirito. Por isso não consigo odiar por completo um estilo musical.

52- Nunca tive professor favorito na escola. Mas lembro de todos na cabeça e tem lugar no coração pra alguns deles.

53- Já quis ser jornalista. Foi a única vez que pensei em seguir uma profissão fora da área da saúde. Eu tinha 14 anos e queria trabalhar na Capricho. Ainda bem que foi só neste período.

54- O primeiro menino que eu gostei me chamou de monstra na frente de toda a minha sala de aula. Ele era tão babaca que fez isso pelas minhas costas. Hoje acho ele tão tosco que não olharia nem duas vezes pra ele.

55- Já trabalhei de Telemarketing. Durou seis dias.

56- Já trabalhei no IBGE. Durou um mês. Recebi bonificações por quatro meses e até bonus do natal. Aprendi que ser funcionário público é o que há.

57-Nunca namorei. Nunca fiquei sério. Se fiquei quatro vezes com a mesma pessoa é muito. Creio eu que não sou uma pessoa de relacionamentos. De acordo com meu primo Danilo "O dia que eu me enroscar com alguem, vai ser pra sempre". Sinceramente acho que ele só falou aquilo porque tava com segundas intenções pra cima de mim.

58- Uma vez iludi um menino dizendo que a gente namorava. Isso durou um mês. Nos encontramos cinco vezes. Toda vez que ele queria me vez eu inventava uma história. Uma vez fui encontrar um amigo (era só amigo) e inventei uma mega de uma história só pra não encontrar ele.

59- Este mesmo cara, eu apresentei pra minha amiga. Melhor coisa do mundo e se livrar alguem apresentando uma amiga solteira. Eles namoraram por um mês. E com o meu apadrinhamento.

60- Passei duas vezes na UFSCar (momento posso me achar).

61- Uma vez quebrei um prato na cabeça do meu irmão. Acho que o cabelo dele amorteceu o impacto porque não fez nem arranhão na cabeça dele.

62- Criticava tanto minha antiga chefe que no dia que troquei de emprego percebi que ela foi a pessoa que mais me ensinou (positivamente) a respeito de mercado de trabalho.

63- Minha mãe odeia decotes. Acabei criando vergonha em usar coisas muito decotadas. Mas de vez enquando eu uso.

64- Meu pai se tornou abstêmio quando eu tinha 10 anos. Passei um ano da minha vida que ele era mais engraçado quando bebia. Das coisas "Eu não sabia o que eu estava dizendo".

65- Adoro meu pai, quando discutimos a casa realmente cai. Sinto que falo umas coisas que realmente não acho e acabo magoando ele demais.

66- Minha mãe me mima demais. As vezes sinto dó de quanto eu faço ela gastar. Abuso demais.
Isso porque me considero controlada a respeito de dinheiro (ou do meu dinheiro).

67- Adoro o Playcenter. Adoro Hopi Hari. Simplesmente adoro Parques de Diversão. Mas não vou nos elevadores por nada.

69- Tentei ler três vezes O pequeno principe. Só na última vez que realmente gostei do que li.

70- Adoro andar descalça. Meus pais sempre brigam comigo por causa disso.

71- Meu numero de sapato é 38.

72- Não sou chegada em marca de sapato. Nunca comprei um tênis da Nike ou da Adidas. Deixei de comprar All Star porque tá muito caro. Mesmo assim adoro Melissas.

73- Adoro jogos de tabuleiro. Sonho em comprar o War especial.

74- Adoro bugigangas de nerds.

75- Sempre tive medo de uma menina chamada Mônica que estudou comigo no primário e no CEFAM. Só fui perder esse medo no jantar de formatura quando eu vi ela dançando depois de uns dois copos de cerveja. Uma das cenas mais ilárias de toda minha vida.

75- Nesta mesma festa ganhei uma bundada na cara.

76- Ja sofri acidente de moto. Foi com a minha amiga Thamyres. Não estavamos bêbadas, nem tinhamos bebido água. Era 10 horas da noite e Thamy não viu a placa de PARE do cruzamento (tinha uma árvore tampando). A titan da Thamy bateu numa bis. Fomos pro chão e nos ralamos toda, com direito a voltinha de ambulância. A bis não sofreu nenhum arranhão. Foi a madrugada engraçada. Os enfermeiros disseram que houve quatro acidentes de moto naquela noite, mas que eramos as pacientes mais engraçadas. Deve ser pelo fato que nos outros acidentes rolou gente indo pra UTI e até morte. Escapamos desta.

77- Sempre conto que ja fui professora no Pito Aceso. Ao me perguntarem: "Como você foi parar lá?" digo que foi ordem judicial pra cumprir pena com serviços comunitários. Na primeira vez que fui dar aula pra uma sala de segunda série vi duas meninas brigando com um ódio na cara que nunca vi nem em marmanjo.

78- Só faço piada sem graça. E sempre rio do que eu falo antes mesmo de terminar o que quero falar de tão engraçado.

79- Só gosto de séries antigas. E isso depois que elas pararam de ser exibidas.

80- Se eu gostar de uma série desde o começo, isso é sinal que ela vai ser cancelada. Acho que Pushing dasies só acabou porque eu assisti tudo e adorei.

81- Apanhei um monte de vezes da minha mãe. Eram os motivos mais bobos e nem lembro qual era a grande lição que ela queria passar. Já do meu pai foram três vezes na vida, e aquelas sim doeu. A última vez deixou uma sensação de "cicatriz do Harry Potter", cada vez que ele ta bravo comigo chega até a doer minha bunda.

82- As comunidades do meu orkut me descrevem.

83- As pessoas tem o costume bizarro de me fazerem de intermediária pra conhecer meus amigos. Odeio pessoas que só se aproximam de mim pra conhecer meus amigos.

84- De acordo com o G., durante o sexo eu não vou ter orgasmo. Vou cair na gargalhada.

85- Já tive bebedeiras feias. Nunca precisei tomar glicose por causa disso. Mas depois que vi uma bebedeira "semquererquerendo" do meu amigo, fiquei com medo de beber e passar da conta.

86- Não é que eu não goste de sair pra balada. É que eu não tenho dinheiro sempre pra sair.

87- Adoro dançar. Pena que só fiz ballet por um ano e meio. Não entendo porque não continuei.

88- Ja fiz ginastica olimpica. Fiquei com medo da trave de equilibrio e nunca mais voltei pra treinar.

89- Uma vez cai de uma ponte de três metros de altura. Eu estava de bicicleta e tentei atravessar aquela ponte de madeira com meio metro de largura. Depois que eu cai, a bicicleta conseguiu permanescer durante um segundo na ponte de depois veio com tudo na minha cabeça. Fiquei com as marcas da roda na minha cabeça durante uma semana.

90- Confesso: Eu sou brega. Muitas vezes não combino as roupas, sou desleixada. Se pá tem dias que nem passo a roupa que vou. Ia na padaria de pijama.

91- E mesmo assim eu gosto de moda.

92- Logo depois da (não tão) grande decepção de dezembro, tive a conversa na internet mais legal da minha vida que me fez acreditar que os homens ainda tem solução. Web cams são amigas nas piores fossas.

93- Eu posso até parecer durona a respeito de romances. Mas não acho de toda ruim a idéia de me casar.

94- A primeira vez que eu pisei na USP falei: Um dia ainda vou estudar aqui. Não que lá seja melhor que as outras faculs publicas (nunca achei isso), mas já que não é graduação, quero fazer pós la.

95- Falar de religião aqui em casa é um assunto complicado. Por conta própria fiz primeira comunhão mas nunca me senti católica. Depois passei a ir em algumas igrejas evangélicas. Ja fui em culto espirita. Gosto de ler sobre crenças mas agora me sinto "Tenho um lado espiritual independente de religiões".

96- No meu trote da Fatec, minha amiga acabou conhecendo o marido. Hoje eles tem uma filha.

97- Eu fui italiana em outra vida. Adoro tudo o que tem a ver com Itália, principalmente seus pratos típicos.

98- Não consigo manter um vício e manias durante muito tempo.

99- Na tpm viro a Scarlett O'Hara. Sou uma drama queen autentica.

100- Meu coração esta dividido entre Matt Damon em "O gênio indomável" e o Al Pacino em "Poderoso Chefão I". Acho que o Matt ganha por ser mais jovem.

101- Eu falo DEMAIS. Sempre. Adoro falar e falar e falar...

BÔNUS: 102- Levei três horas pra escrever tudo isso.

Tem mais coisas. Mas por hora é só isso. Eu sei, preciso ser mais reservada.