sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Estou em um beco...

... e ele não é tão ruim assim. Não tem bichos assustadores, na verdade é bem acolhedor. Só que mesmo assim, ele não mostra uma saída muito clara ao que eu quero fazer.

É um daqueles momentos: A insônia me atacou e não estou raciocinando muito bem. E descaradamente vou tentar me desabafar pra ver se consigo alguma ajuda, nem que seja de mim mesma ao terminar de ler tudo isso.

Todos amigos que ja passaram por aqui sabem que tenho magistério, ja tive muitos empreguinhos de pré-adolescentes. Não era nada muito sério e que me deram uma graninha pra evitar de pedir pros meus pais uns trocados, coisas que sempre me irritou, ja que desde os 15 me viro sozinha.

Eu tô esperando os resultados dos vestibulares. Peguei lista em todos e vai precisar rodar pra que eu entre em alguma coisa. É mais que evidente que, se eu passar, eu vou para faculdade.

Acontece que eu entrei em acordo com a minha chefe de que eu trabalharia lá no cumão até eu ir embora. Abrindo o jogo, la eu trabalho em troca de curso e recebia mais um tostão. Eram só duas (sofridas) vezes por semana e por duas manhãs. Eu estou terminando matemática (que detesto) e comecei o curso de inglês (que estou adorando). La eu sou meio que faz-tudo, desde ajudar alguns alunos até uns serviços de boy.

Então que eu prestei o concurso de Auxiliar de Educação da prefeitura daqui. Peguei colocação boa, mas não fui chamada de primeira. Consegui ser chamada agora em janeiro. A prefeitura também não é o emprego dos sonhos, mas tem um misto de enfermagem e educação, coisa que quero trabalhar, mas na área de pesquisa.

A escola que eles inauguraram é MODELO pra todo estado de SP. É um projeto lindo de se ver, de dar água nos olhos. Quando eu fui escolher aonde assumir e me deu uma alegria de ser a primeira a dizer que eu trabalharia lá. Um projeto bacanérrimo e que me daria vontade de atuar até como voluntária.

O dinheiro que eu ganharia não é muito, mas seria suficiente pra me ajudar a me manter por uns tempos longe aqui, para os produtos de higiene (diga-se as frescurites básicas) e meus materiais escolar; aliviando as contas para meus pais. Seria bom tambem pra eu juntar uma grana se não passasse em nenhuma faculdade, para não deixar de estudar do mesmo jeito. É ótimo estar com um dinheiro a mais no bolso. Tudo isso além do charme que ficaria o currículo.

Agora começa o problema. Como eu tenho esse mês de fevereiro ainda indeterminado, pensei em unir os dois serviços. Mas com conversas prévias com o pessoal da prefeitura daqui, eles não estão muito a fim de me liberar durante duas manhãs, mesmo eu admitindo as faltas.

E, sinceramente, não queria deixar minha chefe na mão. Tô dizendo a mesma chefe que as vezes me inferniza (e a todos ao redor), mas que aliviou minha barra por diversas vezes. Não é pena que eu sinto, e sim é gratidão mesmo. Eu não sou uma vaca egoista em virar as costas pra alguem que foi gente fina comigo e que precisa de mim no momento.

A prefeitura atende ao pedido de prorrogar o concurso. No caso eu entraria em 30 dias por lá. Mas no ritmo que corre as listas de vestibular, tenho esperanças que em Março eu me mude. Fico pensando também no tempo que morgaria por aqui se continuasse por lá. Seria deixar de ganhar um dinheiro que eu preciso pra ficar sem fazer nada muito de produtivo. Ao mesmo tempo, seria uma bela de uma mancada minha em decepcionar as pessoas que me querem bem.

Gente, eu quero que entendam que eu não to desistindo da faculdade. Repito que se eu passar, independente do lugar, eu vou. Digo que estou perdida durante esse tempo que eu continuarei aqui. Se devo aceitar um emprego na prefeitura daqui ou continuar no lugar que estou.

Só pra matar a curiosidade (e também pro povo daqui ficar por dentro) deem uma olhada sobre a crechê e diz se não dá um tesão de trabalhar num lugar desse:
http://www.itapetininga.sp.gov.br/noticias/construcao-da-creche-do-centro-entra-na-fase-final/

Eu sei que muita gente vai falar: vai pra Prefeitura. De certa forma escrevi esse texto querendo atender essa minha necessidade. Mas do fundo do coração, não queria decepcionar ninguém. Ja passei parte da vida decepcionando pessoas, principalmente a mim mesma. Eu só não queria continuar fazendo mais burradas e fazer aos outros o que eu não gostaria que fizessem pra mim.

4 comentários:

Fabíola Ariadne disse...

Prefeitura NOW!
Sem chance para sua EX-chefe. Ela vai entender. Tome posse logo menina.

Priscila M.R. disse...

E não é que entendeu mesmo?
Ela foi super gente phena comigo
deixou eu terminar os cursos
nossa... e eu conheci o lugar que vou trabalhar e adorei também hehehe
bem
bjaum e obrigada viu fá!

Ice Ice Baby disse...

é uma situação chata mesmo...mas vc tem q pensar no seu futuro..não deixá-la na mão é importante..mas vc já sabe q vai sair desse emprego mais cedo ou mais tarde..então é meio q simples a decisão..pode não ser fácil..mas é simples..

Priscila M.R. disse...

Oooo Ice
obrigada pelo apoio
enfim, deu tudo certo
hehehe
bjaum