sábado, 10 de janeiro de 2009

A tsé-tsé me picou, tentei escapar não consegui

Eu amo dormir. Nego do céu, até tenho comunidade "Deus disse: desce e dorme". E eu como sou muito obediente vivo a cumprir essa ordem. Eu tenho problema de insônia NOTURNA, ai eu fico caindo pelos cantos de dia. Tomava até pó de guaraná pra não pegar no sono de forma alguma. Acabei viciada e pans, nem o gosto ruim me incomoda mais.

Enfim que quando eu não tomo nada energético, viro uma múmia ambulante. Principalmente se eu não respeito as sagradas oito horas de sono por noite. Ja dormi em todos os lugares imagináveis: na sala de aula, na sala de aula do cursinho, na de aula do cursinho do professor Paulão que tem 150 decibéis. Na escola é fácil dormir. Mas ja cochilei em busão lotado e ainda eu estava de pé. Em balada e isso porque eu não tinha bebido. Nesses dias puxei o ronco num barzinho daqui com o dono sentado na própria mesa. Depois ele me perguntou se eu não achei o lugar entediante. Só não lembro o que eu respondi porque nessa ocasião eu tinha bebido demais.

Antes eu considerava o lugar mais bizarro que peguei no sono foi no cumão. Uma tarde eu tava caindo de sono. Aquele sono que se vc não fechar os olhos por um segundo algo muito ruim vai acontecer. Algo meio sessão tortura. Ou dorme ou dorme. Lá eu vivo com sono, então que fui pro banheiro e lavei o rosto. Ai que eu olhei pra privada, ela olhou pra mim e eu me aconcheguei nela. Dobrei os braços e "naaaana nenemmmm que a cuuuca vem pegarrrrrrr". Dormi por meia hora. Até hoje minha co-worker pensa que eu tive um dia de dor de barriga por la. Até sonhos eu tive. Sabe que depois que eu acordei eu estava renovada.

Mas definitivamente a de hoje foi o lugar mais bizarro que eu peguei no sono. Mamãe é obrigada a ir pra Sorocaba fazer radioterapia com a ambulância daqui e hoje não tinha mais pacientes pra ir junto, só iria ela. É de praxe ir um acompanhante e meu pai perguntou se eu podia ir "já que você quer ser enfermeira, tem que cuidar da sua mãe" e todo aquele discurso desnecessário pois eu queria ir com ela.

Só que eu fiquei assistindo tv até tarde ontem e só peguei no sono lá pelas três da manhã. Hoje eles me acordaram e eu fui me arrastando pra se arrumar. A ambulância chegou e eu olhei pro banco e olhei pra maca. A luz dos meus olhos brilharam né. "Mãe... pode ir deitada?". Ela falou que sim. Então lá fui eu né, escutando musiquinha e "boi boi boi... boi da cara preeeeta". Canção de Ninar. Capotei no sono.

Acordei de uma maneira surreal. Imagina você abrir os olhos e um teto branco esquisito. Você olha bem e é uma ambulância. E minha mãe, bem em cima de mim, dizendo "Acorda, Pri, nós ja chegamos". Cena doida. Eu realmente tinha me esquecido como fui parar ali. Era tanto sono. Na volta, dormi de novo (mas dessa vez minha mãe estava no banco da frente), caceta. Não creio que deu até pra sonhar. Dessa vez pareceu que eu estava num carro funerário (eu estava sozinha né). Muito Muito Muito bizarro.

Nenhum comentário: