sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

No curso de direção

Pra quem não sabe, eu ando de mercedes quase todos os dias. Tenho motorista e as vezes até dou uma variada, quando pego um modelo diferente vem com outro. As vezes ando de uno, celta, palio. Tudo depende do dia. O mais legal é que a minha mercedes é bem espaçosa, tem vários lugares e é movida a óleo diesel.

Eu ando é de ônibus e costumava ser feliz assim. Até que veio uma lei diferente e o preço para tirar carteira de motorista aumentou. Para evitar isso, ganhei de presente a CNH de Natal. Preferia que o papai Noel tivesse deixado uma bicicleta nova embaixo da árvore, mas esse ano ele quis dar algo que viesse pelo correio mesmo.

Ok, não vou reclamar. Belo presente, posso guiar um carro. Só duvido muito que terei dinheiro pra gasolina e duvido mais ainda que meu pai vai emprestar o carro. Creio que é só pra eu ter de enfeite, volume na carteira. Pelo menos vou poder ajudar a mover a economia ? Mais uma condutora pra poluir o planeta, pra parar o trânsito, pra deixar mais rico os shakes no Oriente Médio e os donos de montadoras. Simples e feliz.

Mas vamos lá. Tenho que ir por uma semana no cursinho da auto escola. Ai ja começou o problema, tenho pavor de sala de aula. Falo sério, adoro estudar, mas detesto assistir aula em si. E é comprovado cientificamente que colocar 40 pessoas em uma sala minúscula, sem ventilação em pleno verão e ainda por cima de noite não dá certo MESMO.

Engraçado que em todas as salas que eu entro tem uma bocuda falante. Vesh. Na minha é uma balofa ruiva de farmácia que confundiu o consultório de psicologia com a sala de auto escola. Vai saber... mas a mulé resolveu passar a limpo a história de vida dela. No final do curso, saberei mais da vida dela do que de mecânica.Mas o mais louco de tudo é meu professor. Parece que o homem tem uma fobia de mulher. Sem brincadeiras. Barbeiragem no trânsito e ele cita que era mulher.

Eu estava com meu amigo na sala de espera e esse professor entrou. Eu puxei assunto pois ele é bombeiro e eu realmente gosto de saber dessas coisas. Perguntei se precisava fazer enfermagem pra entrar na corporação. Eis que ele me da uma resposta absurdamente cretina:
_Olha, eu sou um dos coordenadores dos bombeiros militares daqui e aqui não aceita mulher não.

Parte do meu cérebro associou que a cota de mulheres na corporação havia batido e que agora eles não iam chamar mais ninguém. A explicação plausível que esse ser me dá é que "Mulherada vai pra 'dar' pros bombeiros e que vira poutaria". Disse que não dá certo e começou com um falatório bocó. Sabe, eu vou ser sincera, meu cérebro simplesmente entrou no OFF. Eu olhava pra aquele cara, falando um tanto de bobagens e só blá blá blá. Eu ali dando risada incrédula do que estava ouvindo; provavelmente ele achou que eu estava concordando com o que ele estava dizendo. Eu nem chamaria de discurso machista. Foi desculpa de mal-comido mesmo, daqueles caras que parecem ter ódio de mulher porque nenhuma topa em ficar com ele. Piadas de "mulher no volante, perigo constante" o tempo todo.

Ai que outra coisa me irrita nesse lance de auto-escola. Esse mesmo ser coloca fotos de vários acidentes de trânsito. Até ai todo mundo sabe que é de costume por pra dar um medinho nos futuros condutores. Mas esse lance todo me irrita. começa a virar circo com todo aquele pessoal tirando sarro das tripas de um lado, da cara da pessoa da foto como ficou.

Acho que a sensibilidade humana vai pro lixo numa hora dessas. Eu realmente virei a cara e não estava mais a fim de ver aquelas fotos. Não porque eu sou sensível, não aguento ver sangue. Eu aguento, não é atoa que escolhi a enfermagem. Mas não escolhi como minha profissão tirar sarro de gente morta. Digamos que aquilo que estavam nas fotos para a demonstração é GENTE MORTA. Alguém que não nasceu do nada, que teve uma morte trágica e realmente sofrida, não acho que isso é razão pra fazer piadas DESSE TIPO, rindo de como foi parar as tripas e coisas do tipo. E isso porque eu risada da noticia do padre do balão e adoro Dexter. Mas tem uma hora que chega não?

Eu até entendo porque a turma começa a fazer piada. É comum do ser humano fazer a pessoa rir para não se imaginar em uma sensação semelhante. Lembro de um dia que a professora de psicologia do meu curso pediu para vários grupos encenarem dar notícias tristes e ninguém conseguia ficar sério (óbvio, ninguém ali era ator), é fogo ter que se imaginar em situações de fato traumatizantes. É por isso que eu acho que passou de um ponto perdeu a função de alertar os futuros motoristas. Chega a ser bobagem apresentar várias fotos desse tipo, absolutamente dispensável. Não esta ensinando as pessoas a dirigirem melhor, nem a prevenção de acidentes. Esta só ajudando a formar um bando de motoristas mal-educados e desmiolados, com a mínima falta de civilidade no trânsito.

Eu não desmaiei quando vi as fotos, não abaixou minha pressão. Só resolvi virar a cara. Para quê ficar olhando para foto de gente morta, que esta sendo debochada. Ninguém dali era obrigado a ver e não se sentir constrangido, assim como eu não sou obrigada a ter estômago forte para tudo só porque escolhi a área da saúde.

Quer saber, só tem mais três dias e logo estou livre disso dai. Se cada anta consegue CNH nessa cidade, porque raios eu não vou conseguir?

2 comentários:

Thaís disse...

É isso aee Prii

Priscila M.R. disse...

Isso ae oq thais?
ôoo vou contar pro Celsinho que em vez de trabalhar você ficalendo meu blog de manhã. Esconde se não a Alsacia lê viu. (Piadinha de quem gosta de história... depois eu te explico)