domingo, 28 de dezembro de 2008

Superação

Você sabe que esta chegando no outro estágio da raiva quando escuta Jagged Little Pill, da Alanis Morrissete, junto com a leitura de Melancia, de Mariah Keys.

Primeiro porque esse disco da Alanis é o mais "raivoso" de todos. É o perfeito pra pós-pé-na-bunda, apesar de eu não ter recebido um (deixando isso muito claro). You oughta know é perfeita no quesito "seu babaca FDP, olha só como você me deixou".

O livro Melancia conta a historia da Claire, uma mulher que foi abandonada pelo marido "perfeito" depois de ter parido a filha deles. Mostra bem os "estágios da raiva". De primeiro a ficha não cai, o ciúmes, o ódio, la pelo milésimo ataque começa vir o crescimento. Não querendo contar o final do livro, mas já fazendo, o legal é que ela encontra alguém ... MELHOR. Há. Tomara que na vida real também funcione assim (não perderei as esperanças).

Sai com a best friend pra me embebedar. Acho incrível como eu saio de casa com (pouco) dinheiro contado, gasto além do que deveria, mas volto mais bêbada do que de fato eu paguei pra beber. Enfim, amiga T. falou que encontrou o infeliz na balada.

_ Ai Thaís, você olhou com desprezo pra ele né?
_ Eu não... nem olhei pra ele... eu nem notava que ele existia mesmo.
Boa amiga... muito boa.

Mas o melhor da noite foi essa fofa me dizer que ele parece o José. QUEM?
Este aqui ó



_ Ele parece aquele desenho lá. Pri, é magrelo, o que é aquele cabelinho? credo. As roupas então... blá. Tem cara de nerd, usa aqueles óculos. E aquele queixo enorme. Ai sinceramente... é o José.
Eu não lembro bem se o diálogo da T. foi assim mesmo (eu estava bem alterada). Mas olhando bem, até que lembra mesmo viu.
Agora eu entendo parte da minha raiva. Não é ter me apaixonado (VIXE CREDO LONGE DE MIM), mas é ter me permitido me relacionar com esse Zé. Eles tem em comum também a covardia. E pra ser sincera, o cabelo tem semelhanças sim viu. Próxima vez eu vou deixar que minha amiga escolha com quem eu devo me relacionar. Pedir permissão pra ela e tudo mais. Apresentar os caras com curriculum, pra ver se ela aprova ou não. Com certeza não tem erro mais.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Pós-adolescentes

Amiga Thaís ta com a casa reformando então vai começar a dormir aqui em casa. Isso significa que a casa vai virar um forfé pela noite.

Só que a noite não foi esse mar de rosas não. Óbvio que rolou filme, pipoca, chocolate, pijamas e travesseiros rolando, além de fuçada geral em orkuts. Coisas de adolescentes. Mas começou bem diferente. A safada mór esqueceu a sacola com o presente do boyfriend no supermercado (não me perguntem como ela conseguiu). Como eu ja estava de roupa de ginástica (já tinha corrido durante a tarde), me propus a correr e procurar a sacola. La fui eu correr em uma velocidade que até uma criança com velotrol ultrapassava.
Passando de frente a uma praça cheio de pivetes tocando Legião Urbana, fui desviar de umas palmeiras baixas, agachando e mesmo assim correndo (não sei como também). Ai que fui levantar a cabeça e... bati a testa com tudo na palmeira, até voltei pra trás. Só deu tempo de olhar ao redor e ver se alguem viu... com certeza os pivetes na praça. Continuei correndo, cheguei no supermercado e peguei a sacola, com todos rindo da proeza de ter esquecido a sacola.
Sei que entreguei a sacola pra Thaís e ela quase desabou no choro por ter quase perdido o presente do namo. Mas me agradeceu horrores. Deveria mesmo... pq minha testa tava pra formar um galo. Só depois que entreguei a sacola que percebi como DOEU A PANCADA, eu tinha esquecido da dor.
Depois dessa... só o Dexter pra me acalmar.

When I see you cry, yeah it makes me smile

Sabe, eu sou um ser desencanado. Nunca percebo se realmente tem alguém a fim de mim, raramente estou com alguém, me apaixono uma vez por mês por algum personagem de tv (e eternamente pelo Damon) e me interesso por alguem da minha cidade uma vez por ano (e as vezes nem isso). Pra todos os caras que eu realmente gostei desejo profundas felicidades na vida, até quando eles feriram meu coração só quis que eles fossem felizes, talvez na pouta que pariu... mas felizes com os respectivos amores.

Ai que agora EU NÃO ESTOU APAIXONADA, longe de mim isso (credo). Mas pra esse último caso, ah ESSE EU QUERIA A MORTE DELE. Não porque ele magoou meu coração... ele magoou meu cérebro mesmo. Sabe quando você realmente quer que a pessoa vai se lascar. Olha, eu sou escorpiana e tals, o tempo dificilmente fecha pra mim, mas QUANDO FECHA... AI AI AI. É raro, mas ... eu tô com ódio pra valer. E eu sei que isso só vai me fazer mal e não ao infeliz, mas é algo que estou aprendendo a lidar. Ontem fiz duas horas de corrida na marginal e pensei pacas... em como fazer tortura com o infeliz. Ja estou bem mais calma, conversei com as amigas que me aconselharam a esquecer mas eu tenho a necessidade de escrever como eu faria pra me vingar do infeliz. Alias... é torturar pra valer, fazer ele sofrer fisicamente pela dor na consciencia que o cretino deixou em mim.

Ppodem tirando da lista tortura sexual. Nada de pendurá-lo e dar chicotadas ou jogar cera de vela no peito dele, sem sadomasoquismo. Blé. Nada de fantasias de enfermeira ou algo sensual. Pra esfolá-lo eu estaria inteira de preto, com gola rolê e salto alto, muito bem maquiada com cores escuras. Há. Ah, sem cortar o mal pela raiz (se é que me entende), como é que eu quero que o cara fique traumatizado sem ter algo pra lembrar sempre disso?

Pra quem tem estômago fraco, aconselho a desistir de ler esse post. Depois dessa vou deixar de ser um pouco sem veneno pra ter minha dose aumentada. Quem quiser continuar ja vou dizendo que nunca disse que era boazinha. Ja digo também que nunca tive esse tipo de sentimento por ninguem e provavelmente vai ficar só no papel. É minha forma de exorcizar essa coisa ruim. Vamos la:

_ Eu faria acupultura nele. Mas não com as agulhas corretas, é muito higiênico. Usaria uns alfinetes de costura sem cabeça e enferrujados. Aqueles tão velhos que desfiam o tecido jeans. Faria um bem danado pro cara, o organismo dele reagiria maravilhosamente bem pois os pontos corporais foram devidamente estimulados.

_ Pra ele não ter tétano, doença terrível by the way, eu aplicaria a vacina. Na testa dele, pra ver que tem coisas que são de graça mesmo.

_ Faria depilação nele. Perna? Não. Axila? Não. Na cabeça dele... Quem nunca quis ver um careca... de cabeça depilada.

_Tá precisando de um banho. Água fria? Pouco. Eu jogaria numa banheira de gelo. Alias... EU COLOCARIA SAL ANTES pra ficar um pólo norte. Depois iria direto pra uma coberta... pra continuar gelado. Ele não foi frio comigo? Então... merece.

_Ele me disse que tinha medo de vespas. Hmmm... lembrei da Narizinho do Sítio do picapau amarelo, quando ela é picada por uma na língua. Só que eu pensei em fazer isso em outro lugar. Sugestões?

_A roupinha ta meio amassada. Ja que é magrinho... vou usar como tábua. Ainda bem que tem várias roupas de algodão.

_Treinava a passagem de sonda sem xilocaína. Pra que anestésico?

_Pra finalizar, eu vestiria a bota Arezzo preta, scarpin e jogaria futebol. Com a cara dele. Seria Arezzo pq é o sapato mais chique que eu tenho, ainda não tenho grana pra comprar um Prada. Alias... se alguem tiver um e quiser me emprestar para o feito, eu juro que trago sem mancha de sangue.

Bem... ja disse que o homem ideal do momento é o Dexter né? Pois é. Eu não desejaria essas coisas se a pessoa não fosse um lesho. E lesho a gente deve jogar fora né?Então, é óbvio que eu não vou tentar por em prática nada disso. Para isso implicaria que eu o vesse de novo (e eu não quero... DISTÂNCIA). Por favor, sem aquele papo que amor e ódio andam juntos, porque não sinto nada além de despreso. Eu ja gostei de alguns caras e por nenhum deles eu senti essa bronca absurda. Tenho raiva, nojo e despreso. Mas agora o assunto vai morrer, vou esquecer desse palhaço. Se alguem quiser contar mais alguma forma de tortura... sinta se a vontade. Um dia eu vou dar risada de tudo isso, eu ja estou dando risada de tudo isso, estou gargalhando. Até imaginei o cretino sendo assado no natal com uma maçã na boca. Hmm... carne ruim.

Alguém ai lembrou daquela novela Quatro por Quatro?

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

ôo! Larga que EU VI PRIMEIRO

Há uns tempos atras eu tive uma gracinha de nome. Sonhei, dócilmente, que tinha quatro pimpolhos, ja com nome, idade, personalidade e carinha próprias. O legal de sonhar com filhos é que você não vivencia o PARTO deles né. O pai das crianças era o Will daquele filme "O gênio indomável" (Tara por personagens de cinema hehe), ah e nós eramos ricos.

O nome da primogênita era Sophia. Olha que fofo esse nome. Contei pra amiga Thaís e ela falou que ELA TAMBÉM QUERIA ESSE NOME. Vocês sabem daquela regra que num pode ter nome igual e pans. Ficou "meio" combinado que quem tiver filha primeiro fica com o nome, creio que ela tem uma certa vantagem na minha frente por ja estar namorando.

Ai que ontem chega meu tio aqui em casa. Ele tem uma filha (que me recuso a chamar de prima) que eu detesto e foi uma hiper pilantra comigo. Ele contou que esta estrupicio estava grávida de novo, e era uma menina. Eu perguntei inocentemente qual era o nome que a serzinha (que provavelmente vai ser uma gracinha mesmo) ia ganhar. E ele me disse que era... Sofia! Ai que ódio... o nome era meu. Sabe que na hora desceu a Scarlett O'Hara e eu realmente falei "Era o nome que eu tinha escolhido, até comentei com a minha mãe esses dias". Minha mãe até brincou que eu previ era o bebê da vaca-mór e não o MEU bebê (que por favor... daqui dez anos no mínimo).

Isso porque na hora eu segurei a manha pra não falar da piada básica que o namorado da minha amiga fez com o nome. Estava nós três passando na frente da boticário e eu falei "olha que nome lindo esse... Sophie". A Thaís falou "aiii eu ja falei primeiro". Rafael olha pra ela e diz "Vc quer esse nome pra criança?A menina vai ser chamada de Sofia... Sofiadapouta". Nós duas com cara de ódio, prontas pra matar ele, mas caimos na risada.

Perdão alguem ai que tem algum parente com esse nome, eu disse que amo o nome. Mas não resisti de contar a piada.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Na espera da Fuvest

Olha só o que me mostraram. Criaram um tabuleiro do WAR baseado na ... USP!

O assunto deve ser velho... mas estou eu pra dar risada.

Eu não sei como posso ampliar mais ainda a imagem, mas adorei a ESALQ ser chamada de Ilha da Pamonha. Mais coerente seria ser chamada de Ilha dos Pamonhas (com todo respeito a amiga Katia-Cega). A Caaso (São Carlos) não foi zoada, ficou como a ilha da laranja com açucar que pena... posso querer entrar na USP mas em Sanca meu coração bate eternamente pra UFSCar (Xuuupa Caaso).

Pra mais informações: http://bighead.poli.usp.br/cadernoteca/index.php/USP_WAR


Até que os homens não são tão FDP's assim

Eu ando, e com razão, com muita raiva dos homens héteros. Eu não tô brincando. Eu queria que todos eles, exceto meu pai, fossem pro quinto dos infernos com suas malandragens e falta de bom senso com o sexo feminino. Passei um mal bocado esses dias que se eu vesse o fulaninho eu chutaria a cara dele com meu sapato de salto fino da Arezzo. Por isso que até aluguei aquela série Dexter, alias É A MELHOR do mundo. Você até se apaixona pelo cara e pensa que o relacionamento dele com a Rita é mais perfeito.

Pra desestressar, sai fazer caminhada na marginal. Ai que vi dois negos de bicicleta olhando a parte de trás do out-door, todos cheios de sorriso e apontando. Até pensei "Ai tão vendo alguma mulher de calcinha das propagandas da Femmina". Eles estavam com uma cara de panacas e sorriam que nem bobos. Liguei a cara de nojo e ódio pra olhar de um jeito bem tosco pro cartaz e depois jogar um desprezo na face deles. Num é que eu quebrei a cabeça?

Era a propaganda da unimed Itapetininga com os bebês que nasceram esse ano la. A coisa mais CUTIE que eu ja vi. E os dois bobãos la olhando e babando pela criançada. Depois de uma dessa voltei pra minha casa pensando que a humanidade (ou o sexo masculino) ainda tem como se safar.

Um dois tres... Recomeçando

E volta o cão arrependido ...

Tempo para respirar. Acho que é o que todo mundo precisa. A L. disse que ficou duas semanas sem escrever e eu não consegui nem isso. Achei que se ficasse longe iria por tudo em ordem na vida. Ledo ingano, as coisas ficaram um tanto mais confusas. Talvez até cheguei no fundo do poço, ou só tive alguns pesadelos ruins.

Mas eu estou de pé de novo, pra tirar sarro de todas as situações comicas que acontecem comigo. As REALMENTE ruins... ah essas vão ficar pra trás, servirão para me dar força, me farão crescer e não deixar mais ser enganada. É bom saber que eu tenho amigos maravilhosos.

Vamos para as novidades:

Passei pra segunda fase da Fuvest. Isso significa que eu vou ter que andar de bicicleta por 16 km. É isso é muito pra uma sedentária que nem eu. Estudar e muito.

Sou a 27ª colocada da prova da FAMEMA... na lista de espera. hehehe. A maior bobagem de vestibular que eu fiz na minha vida. Eu achava que so deveria fazer as questões de peso dois dissertativas e não fiz as de outras matérias. Minha redação foi tão boa e mesmo assim ela não conseguiu me salva. Fico envergonhada cada vez que lembro disso. O pior é que eu ainda posso ter esperanças... mereço.

Tomei vergonha na cara e dei entrada nas papeladas para tirar carta. Vai ser só de carro. Detesto moto, gosto so daquelas lambretinhas e estilo biz. Mas sério mesmo? Eu já cai de moto de um jeito tão tosco e de qualquer forma machuca demais a gente. Estive no hospital e todo santo dia aparecia algum acidentado de moto. Pergunta se eu quero... Alias... nem carro eu tô tão animada. Sou a favor do transporte público. hehe. Ecologicamente correto.

Curiosidades: A primeira van que eu fui para fazer prova tinha uma pivetaiada mega mala. Eles voltaram o caminho todo cantando "Toda vez que eu chego em casa, a barata da vizinha ta na minha cama". Só sei que um cantou: "Eu vou passar na UFSCar pra me defender". Teve muita graça na hora. Eu juro. Tinha um menino que, no meio da estrada sem acostamento, berrou dizendo que estava apertado pra fazer xixi, quase chorando. Ai que a van parou no acostamento,o menino foi la e travou... disse que não conseguia.
_ Ai fio, vai ali atrás do arbusto mesmo.
_ Num dá... dá pra ver da estrada.
(Eu, ansiosa para ir embora)_ AHhh Vai logo que as vezes nem dá pra ver nada
_ Oloooco cara... ta falando que vc tem pinto pequeno.
Momento altamente constrangedor.

Ahh neste vestibular eu quase morri. O que é aquela avenida ali na frente da UNIP? Quer se suicidar... só tentar atravessar aquilo durante às 5 horas da tarde. Fico pensando na quantidade de vítimas daquele lugar... não tem semaforo, policial, faixa, lombada... NADA!

Na van da unesp, o pessoal foi mais legal. A motorista da van era DOIDA DE PEDRA. Cada piada absurda que a mulher contava. No primeiro dia sentei do lado dela na van, como eu sou alta e sou meio forte (vulgo gordinha), bati sem querer o joelho no rádio, fazendo sair a capinha. Ela me chamou de Potranca. Ai que eu fiz de novo na volta e ela foi la e me chamou de potranca de novo. Ai que ganhei o apelido de...Pô. Sabe o que é você ser chamada em pleno Shopping Esplanada de Pô? Ai aquela pergunta... "Por que Pô"... "De potranca bem hehehe". Ai céus... ainda bem que eu sou um ser desencanado (ainda bem que eles arrumaram o apelido ao menos).

Gente viciei em Dexter. Sabe quando a gente se apaixona por um personagem, e não pelo ator...mas o personagem mesmo? É eu quero ser a Rita. hehehe. Podem falar o que quiser... mas um Dexter cairia bem nesse momento pra mim.

Ahh cortei meu cabelo. Ele estava na cintura e agora esta... gente agora eu pareço uma melindrosa. AMEI! Nada como um cabelo novo pra iniciar uma nova fase na vida não é?
Ele está extremamente macio e os cachos estão uma graça. Muito muito muito bom. Provavelmente ele vá armar. Tô pensando em fazer progressiva nele, sei que não vai ficar liso mesmo ai eu posso deixar os cachos definidos do jeito que eu gosto e sem volume. Seria legal tb ter cabelo liso por um tempo... EU NUNCA TIVE. Adoro cachos. Aprendi a amar os meus cachos também.

Bem é isso ai pessoal. Se antes tendia a zero, agora deve estar em zero. Desculpa de ter saido de um jeito tão desajustado... pra mim é um eterno prazer escrever aqui e comentar nos outros blogs.

I'm Back... it's Priscila, Bitch!

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Fechando em três ... dois... um...

Ok... fim da brincadeira pra mim. Quem sabe um dia eu volte, quem sabe com outro endereço, Quem sabe com esse mesmo. Mas agora chega... de verdade.
Eu ainda apareço pra ler os blogs (comentando ou não)

Amigos, esse blog foi criado pra vocês. Tanto para os melhores amigos de Itapê (e do mundo também) Thaís, Goya, Girino ... ai lista infinita de tão finita que é. As ótimas NOVAS AMIGAS Thaísa e Monise... suas doidas que me levam pro mal caminho (e me fazem um bem danado)... confessem que vcs liam aqui vai hehe. Quanto aqueles que estão longe de mim, os meus frutinhas e o Isaac. Logo vocês que sabem o quanto minha vida tá uma bagunça (daquelas absurdas), que eu não posso mais me perder e nem deixar que qualquer coisa me atrapalhe agora. Eu amo muito vocês, do fundo do coração.

Novos amigos da internet... sei la se alguem realmente lia isso aqui. hehehe. Num é zero, mas tende a zero. Mas de verdade, foi um prazer conhecer o pingado de gente que apareceu aqui pra rir das coisas que acontecem comigo. Nossa... nunca conheci tantas pessoas legais na vida. Gente que entende de moda, maquiagem, livros, filmes, lugares interessantes, que conhece sobre música e me apresentaram uma visão bacana e diferente do mundo. Obrigada.

Fora aquelas pessoas que eu voltei a rever (né dona Flá) e acabei pegando amizade firme e forte. Moramos na mesma cidade e dificilmente nos topamos na Campos Sales da vida. Pra você eu digo XUUUPA CAASO. hehe. Valeu viu.

Eu não to morrendo não ein.hehehe... Ninguem morreu também. Eu só preciso de um tempo pra por tudo em ordem. Poder ver se é isso que eu realmente quero da vida, saber se tudo o que eu fiz tem algum sentido. Exorcizar alguns fantasmas do passado. Acho que é o tempo de reclusão que todo mundo merece ter. Poder entrar nos eixos e relaxar, antes que eu comece a deixar de ser eu mesma.

Chega de lenga lenga. Quem sabe eu volte. Quem sabe eu não volte.

P.S.: Só to com um dó danado de perder esses textos. hehe. Será que tem como salvar e tals?

domingo, 7 de dezembro de 2008

From Roça

Tarde de sábado complicada de ficar em casa. A cabeça cheia por pensar demais em bobagem, vestibular e seus erros, bobagem, mãe fazendo rádio, chefe, bobagem. Nessas horas a gente precisa sair pra caminhar e refrescar a cabeça.

Enfiei aquele Jeans, tênis e camiseta branca para andar com o som na orelha e esfriar a mente. Ja na porta de casa encontro os vizinhos se divertindo.Ô delícia sentar na calçada, ganhar cervejinha e fofocar um pouco. Minha vó adotiva, a cada pessoa que passa ela pára pra dizer o quanto eu cresci. Fala com gosto (e certo exagero) que me criou enquanto minha mãe estudava e tals. É gostoso também quando o povo me olha pra dizer "Como você ta uma moça bonita". Ganhei até beijinho melecado de um gatchenho... ok... ele tinha três anos e foi na buchecha.

Andando pela rua vejo uma ex aluna. É tão gostoso, depois de um bom tempo, ser chamada de "Prôoooo".

Andei andei andei (até encontraaar) e fui no shopping. O shopping daqui não é ENORME mas la é gostoso, calmo. Bom encontrar as pessoas conhecidas, fuçar nas lojas de departamento e nas livrarias. Engraçado ir no EXTRA e encontrar vários conhecidos, como se o supermercado fosse um secos e molhados versão grande. Todos perguntando sobre a família e prometendo visitas. Alias, todo dia tem visita em casa, se fosse em outra época seria horrivel, mas agora é o que faz o dia se tornar diferente.

Fui encontrar a amiga Thaís, eis que ela não está na casa. Foi fazer unha. La vai eu procurar o salão, e era aqueles de típico de bairro mesmo, com a mulherada tudo amiga. Minha paicela la sentadinha dando risada das bobagens que o povo fala e a gente incrementa. Aqueles assuntos mais cabeludos (coisa que homem não deve saber mesmo). Rolou até bolo de maracujá caseiro e coca cola porque era festa de aniversário de uma das cabeleireiras. Se tiver festa todo dia, volto sempre.

Voltando pra casa com o mp3 da amiga T, o único em que Milton Nascimento esta do lado de MC PERLA, fora o Beatles do lado de Avril. Éeee... eu confesso que tambem tenho essas pérolas no meu aparelhinho. Depois de banho gelado e um início de estudo, escuto um som de banda. Saio na rua pra ver e é simplesmente a banda municipal oficial tocando "Parabéns pra você" pro meu vizinho, que também faz parte dela. Todo mundo na rua pra ver, vesh. E ver os mais idosos escutando as músicas antigas e cantando junto. Alguns ex vizinhos da turma de criança, uma ja com filho, saindo "pra ver a banda passar cantando coisas de amor" (tocou essa música e todo mundo cantou). Criançada na rua andando de patins e bicicleta. Minha Vó sentada na cadeira. Minha mãe em volta da coberta (pq não pode ficar na friagem). Vizinhos em festa.

Depois de tudo o que aconteceu comigo e ainda acontece, fico até pensando se eu realmente quero sair daqui. Ok... eu quero. Itapetininga não é esse mar de rosas todos os dias. Infelizmente tem um bilhão de problemas, típico de cidades em transição, deixando de ser média. Mas é esse clima bucólico, acolhedor, é isso que me dói. Eu quero muito passar em SP e sei que lá num vai ter muita coisa que eu tenho aqui. Mas é tudo isso que me faz adorar o lugar que eu vivo AGORA. A querer valorizar os instantes que eu to nesse lugar. Parece que a cada dia acontece coisa nova. Sensações novas, que me dão medo pra caceta, mas que me fazem sentir viva e eu ainda nem comecei a viver.

... Amo muito tudo isso.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Barrados no amigo secreto

Todo ano a mesma coisa que descabela a todos: Amigo secreto. No Work ficou certo amigo chocolate, então não ia ter (tanta) decepção a respeito do presente. Sabemos o que cada presente vai dar: o vaso sanitário.

Aonde eu trabalho não rola álcool nas reuniões, masSSSS me da pizza de brocolis com bastante queijo e alho que eu ja fico de tanto bom humor, que quase nem percebo a falta de uma cerveja. Eu ja achei interessante a menina que me pegou me descrevendo como "Engraçada". Valeu ein, fez meu dia.

Então que duas meninas que trabalham comigo contaram que foram uma pra Austrália por duas semanas e a outra pra Chicago passar um fim de semana. Eu que não sou Tatu logo soltei "O lugar mais longe que eu fui foi pra Long Island". Uma parte não sabia o que era, a outra ficou me olhando com cara de espanto. Ai que eu falei né "Long Island... vulgo ilha comprida né pessoar!". Se não conhece... joga no google. É praticamente o piscinão de ramos de São Paulo.



Ae que minha chefe contou que o nome dela em japonês é To. Isso ai mesmo, e se fala Tô. Eu perco amigos (e o emprego) mas não perco a piada (sem graça) e falo: "amanhã vou chamar Oii dona Tô, a senhora Tá ai? e como resposta vem um Tô" Ok... essa foi podre. Mas lembrei de uma piada tão boa. Era assim: a Japonesa foi no supermercado comprar absorvente. Como era o nome dela?... Tokochiko Naraxa. ok ok... muito podre. É óbvio que eu não contei. hehehehe... Eu ainda preciso desse emprego até passar no vestibular.

Barrados no vestibular

Era para estar na frente da escola às 13 conforme o edital. A escola foi abrir só 15 para às 14. Isso significa ter um bando de vestibulandos morgando na frente da escola, em pleno domingo, num calor sorocabano de 32º ... na sombra. Alie tudo isso com um estresse do caceta.

Antes as provas da PUQUI faziam no prédio da própria faculdade, mas o povo da medicina de lá é tão chato, mas TÃOOO chato, que eles faziam batuque antes da prova. E durante também. Algo meio "vamos zoar com os provaveis bixos da faculdade". Só que esqueceram que nem todos prestam PUQUI, é um vestiba unificado com outras faculs.

Esse ano mudou para um colégio e quem estava na frente de novo? Povinho playba da MED-SO. Grandes merdas.

Fui pro emi ci Donalds e bati um rango. Pra que eu fiz isso? Ahh era pra dar mais sono do que eu ja estava. Mas como é tradição de comer no Mc quando vai em Sorocaba é sagrada, mesmo que em Itape também tenha, lá fui eu gastar 12 contos em sanduiche (mesmo que o lanche mais gostoso da cidade fique na rodoviária e o combo saia por 5 reais).

Ai que eu tive a brilhante ideia de NÃO COMPRAR ÁGUA no mercado. Três coisas são sagradas em vestibular: RG, caneta azul e água. E eu esqueci da água. Bosta. Isso porque a prova da PUQUI é tão foda que nem brinde rolou (só umas balinhas do universitário). Alias, a única coisa que eu realmente gosto de vestibular são os brindes dos cursinhos. Para alguns é uma afronta insinuar a procura de cursinho durante as provas. Algo meio "Talvez você esteja aqui com a gente ano que vem... fazendo cursinho... de novo". Eu prefiro pensar que são presentinhos otimistas pra que a gente pense "Essa é a última vez que estou fazendo essa bagaça". O problema que faz três anos que presto vestibular... espero realmente que seja a última vez.

Voltando pra água. O povo tri legal da medicina estava vendendo água e cerveja na frente da escola. Eu olhei pra aquelas garrafinhas e me senti tentada. Mas, enfim, contudo, pedi a água, que estava por 2 reais. Era a cirurgia dos olhos da cara. Uma garrafinha daquela custa 90 centavos no supermercado. Eu, como uma boa mão de vaca, reclamei:

Vestibulanda: Poxa.. dois contos a água?

Playboy bonitão da Med: Pois é... três reais você leva duas.

Peguei uma só

Vestibulanda: Nossa... mas vocês tão precisando de dinheiro mesmo pra pagar a faculdade ein. (Ironia on)

Playboy bonitão mas tremendamente escroto: ô bixete... que curso você ta prestando?

Vestibulanda: to prestando Enfermagem... na FAMEMA
(diálogo imaginário: perdão ae, a minha é publica)

Playboy: Sorte sua ein... escapou do nosso trote com as folgadas

Vestibulanda: Sorte mesmo. Ja pensou ter que vender água pra ajudar o pai a pagar a faculdade. A que eu quero é de graça.

É eu não tenho medo da morte. Como diz os amigos do meu irmão: O que tem de burro, tem de corajoso. Ainda bem que depois que terminou a prova não tinha mais ninguem da MED por la, se não eu ia ganhar um trote... da PuQui. ECA... da um azar pensar em faculdade particular.