quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Lá vai outra sobre reclamações

Esse negócio da fuvest ta dando pano pra manga ein. Fui na escola que fiz 3° ano (junto com o CEFAM), chamaremos de colégio C. A menina me tratou bem mas disse que não sabia de nada sobre a venda dos manuais. Fui pra casa e escrevi aquele texto da fuvest.

Ontem uma luz me iluminou " Ahh o 'colégio A' faria". Pausa: Trata-se da escola que eu fiz cursinho integral. Era a maior concentração de playboy e gente metida por metro quadrado. Muita pose pra pouco intelecto. Isso porque era o primeiro ano da escola na cidade.

Fui eu lá na escola. O porteiro lembrou de mim e me tratou muito bem, perguntando se eu tava na faculdade e se tava feliz. A mocinha da secretaria, que não era da minha época, foi simpática. De relance olhei pra sala dos professores, alguns rostos conhecidos, mas só um professor sorriu de volta pra mim. Isso porque boa parte deles olharam pra janela pra ver quem estava ali. Foi muito constrangedor.

A moça me disse que só faziam as inscrições para quem era aluno. Eu disse que só procurei ali pq tinha estudado. Nessa ela foi procurar a coordenadora, que também foi minha professora de Português. Todos os erros aqui presentes são devido ao meu NÃO entendimento na aula dela (Há!). Ela me olhou pelo vidro isofilmado e nem me cumprimentou. Passou o recado "Pode encomendar o manual mas se vira com a ficha".

Minha cara inchou de vergonha. Oras, eu não fui implorar a droga do manual, FUI COMPRAR. Não era um mega favor. De boa, me senti humilhada. Explicando melhor, pra quem não concorda. Eu esperava que a mulherzinha viesse me cumprimentar pra eu poder conversar de boa, contando o que raios fazia ali. Se ela quisesse cobrar a mais pelo bendito manual e a droga da inscrição, eu compreenderia e pagava. Poxa, eu fui aluna da bagaça. Não é algo impossível.

Ja rodei nas escolas públicas dessa cidade e ninguem nunca me atendeu mal. Até hoje o Seu Reynaldo da faxina (Peixotão) lê minha mão quando me encontra na rua.

Fiquei tão bege e sem graça pelo constrangimento que entreguei o dinheiro e fui embora. Pensando bem, queria voltar no tempo e dizer "Ah não, beleza... então obrigada" e nunca mais voltar. Mas como já foi feito, eu terei que voltar, engolindo o orgulho.

Só achei que se um dia colocaram minha foto em um painel como aluna de lá, quem sabe podia quebrar um galho. Essa doeu ein.

P.S.: reclamando demais ? Mas juro que estou de bom humor esses dias. Enfermagem tá jóia.

4 comentários:

Ana Barros disse...

vai ver isto tudo é uma mensagem sobrentarual e subliminar pra vcs largar tudo, abrir uma pousada perto da Praia do Gunga e viver feliz pra sempre (rs)

Jackie Götzen disse...

reclamar é bom tb!!!!!

evaodocaminhao disse...

q ódio

volta lá, pega o manual e manda enfiar no meio do...

Priscila M.R. disse...

Obrigada meninas
Ana... pode deixar que essa ideia da pousada ta anotada

Jackie... reclamar é bom pq alivia. Mas eu preferia NÃO ESTAR reclamando. hihi

Evão... eu vou pegar o manual e me pouparei do negocio do ... pq se não fica mto sujo. hihi mas vontade é oq não falta