terça-feira, 24 de junho de 2008

Mais uma sobre supermercados...

O Supermercado Pão de Mel está virando minha balada. Não é possível que tudo que tenha que acontecer com a minha pessoa ultimamente é la. Poderia ser o Extra 24hrs(que realmente é legal de madrugada). Vida devagar é assim, só que dessa vez não foi um tio bonitão nem uma menininha graciosa e sim um muleque pestinha de uns seis anos vestido com uma camiseta falseta do São Paulo e com cara de tentado. Eu adoro criança, mas as EDUCADAS e BOAZINHAS. Essas chatas podem passar longe de mim.

A história foi assim. Hoje de manhã, minha pessoa foi comprar café (sou viciada) e contava as moedas e nessa as derruba no chão. Ajoelhei e fui catar as moedinhas que tinham caido de baixo da prateleira. De repente sinto uma coisa puxando a minha calça bem rápido e do nada a sensação metálica no meu cofre. Dei um pequeno berro. Ok foi um bem grandão mesmo de susto. Viro e vejo um moleque branquelo e cheio de janelas na boca, todo ensabadinho atrás de mim dando risada até não querer mais. Nessa a minha cara ja tava fuzilando o muleque imbecil e eu disse bem brava (segurando a calça): CADÊ SUA MÃE?

A imbecil tava do lado dele, dando risada contida. Tem cara de ser aquelas meninas novas que tem filho com 15 anos, idade que devia brincar de boneca. Ela não deu bronca nele, segurando a mão de infeliz "Ai moça, ele é criança não briga com ele pq ainda não sabe oq faz".

Mil e uma respostas pra dar pra esse ser. Literalmente filho de babaca, babaca² serás. Eu fiquei pasma ali olhando pra ela (quem me conhece sabe que em certas situações eu travo mesmo). Só que uma senhora mega elegante estava no corredor e passou o maior sermão na mãe imbecil "A educação vem do berço, que ser pobre não é desculpa". Se não fosse comigo ajoelhada no chão, seria lindo de ver. A moça rindo falou "Ai filho não faz mais isso tá"

Fui pro banheiro e vi que as poucas pessoa no supermercado estavam olhando pra mim. As meninas do caixa olharam daquele jeito de dó, agora os meninos do pacote meio deram sorrisinho de lado. Nunca gritei tanto FDP na minha vida. Vontade de voltar e surrar o moleque e a mãe dele junto. Como essas coisas acontecem comigo cara?

Mas como sou um ser superior a certas coisas eu não ia arrebentar o moleque ou enfiar um saco de moedas de um centavo no rabo dele. Eu só desejo no fundo do meu coração que ele se torne professor um dia e tenha TRINTA MOLEQUES CHATOS como ele pra aturar. Eu desejo de coração que aquela mãe ganhe uma palestra do Içami Itiba e aprenda a dar educação ao seu filho.

E pra ser sincera (fazendo minha as palavras de Seu Lili) prefiro ter um filho VIADO do que ter um filho como este. Se bem que o menino é são paulino, então bambi já é né.

4 comentários:

Flávia disse...

HAIUAUIHIhiuAUIahuahAHUIahiuahiuA,MEW
soh com vc,neh,Prix!!Q ódioooo!!

Ruy Castrus disse...

podemos chama-la de BB né pri?
ou bradesco??? (péssima piada, assim como a sua final sobre sao paulinos )

Priscila M.R. disse...

é... ou poupança baderindos ta valendo.

hehehehehe

Marina disse...

Hahahaha...Priscila, desculpa mas morri de rir pelo inusitado da situação! Agora realmente se fosse meu filho eu ia querer matar!!!!
Onde já se viu?! Criança em supermercado tem que ficar do lado do pai ou da mãe e não pode perder de vista de jeito nenhum. Acho que ia dar uns tabefes no moleque, e de quebra ainda comprava o seu café só da vergonha que ia sentir...Beijos!