quarta-feira, 18 de junho de 2008

Até no cemitério...

Morreu uma parente minha próxima então foi a feliz família pra uma despedida. Faltei do serviço e possivelmente ia faltar do curso. Chegando no velório, todos os sinais que o sepultamento ia ser cedo. Tinha muita gente chorando em torno do caixão e começou a dar um aperto no meu coração.

Eu não contei, mas no dia da visita do hospital morreu um homem com a gente na sala da UTI. Foi meio trash porque esperava acontecer de tudo menos alguem morrer comigo perto. Mas eu não imaginava alguem querido na mesma situação, então achei melhor não ficar na sala do velório.

Fui pro carro e chorei por la, mais em paz. Fiquei lembrando dos momentos com a parente, ri um tiquinho e chorei mais um tanto. Eis que vejo o "cortejo" indo pro cemitério. Toda desesperadinha sai com pressa do carro.

Tava frio pra caramba, la no meio do cemitério enfiei a mão no bolso. Senti que tinha esquecido algo no carro, mas o que podia ser? Sabe quando você esquece o que ta fazendo completamente pra ver O QUE RAIOS PODE TER PERDIDO. Deu uma luz na cabeça e tive que sair correndo.

Cheguei no carro e olhei toda sem graça morrendo de vontade de rir da minha burrice mór. Esqueci a chave do carro em cima da minha bolsa. La estava ela toda linda, intacta e longe pra caramba da janela, que não tinha nem uma frestinha.

Fui toda sem graça falar com meu pai. Ele tava todo cabisbaixo com os amigos dele. Cheguei de quetinha observando as covas. Pensei "dependendo da reação do meu pai, acho que vou passar a morar numa dessas".

A conversa que se passou foi bem assim: "Pai, fechei o carro"
"Ta, Cade a chave"
"Esqueci dentro do carro"

Os amigos do meu pai olharam pra mim, mas começaram a rir sem parar de mim. Nessa eu também não aguentei e dei minha risadinha tradicional. E isso num enterro... imagina essa turma do meu pai no bar.

Fomos ver o carro, meu pai e meu tio foram ver um chaveiro e eu fiquei la observando a linda chave. Eles trouxeram um chaveiro que não levou DOIS SEGUNDOS enrolando. Me senti a maior troxa do mundo. Magina um ladrão com um treco daquele, leva o carro na hora e ninguém percebe. Isso porque o cara cobrou VINTE PILAS pra abrir a porta. Como assim, aquilo era abrir a porta do carro, não foi nem dificil. Vontade de morrer. Não... eu tava do lado do cemitério. Vontade de matar mesmo. Ainda teve que levar esse zé mané insensível que não entendeu a dor da família e enfiou a faca.

6 comentários:

naturline disse...

Adar com um texto maravilhoso.
muito boas, mo' gostou muito, da mesma maneira que o blog, obrigado muito

Cinthya Rachel disse...

tadinha! eu tb já ri em enterro, de nervoso. qto ao Zequinha ele não foi pq está morando no Rio de Janeiro. Beijossssssss

Elise disse...

Lembro, uai, claro que lembro. Como não lembraria se sempre leio aqui tb, todo dia?!
Só não comento pq, sabe como é a vida enrolada, rsrsrs.
Beijas.

Ice Ice Baby disse...

mas o carro num fecha só com a chave?!

o meu ao menos é assim...

:-(

vai ver q é pq ele é velhinho demais...

Priscila M.R. disse...

velhinho... hehehehe
o seu ta BATIDO mas não ta veio não

o nosso é mais veio
aquele gol QUADRAAAADO 1994
acho que nem paga mais iptu hehe

é só com a chave (nem alarme tem)
ae precisou chamar o chaveiro.

Cyn... agora que eu me mudo pro Rio. Zequinha hj deve tar um gatchenho.

Elise... assim vc me deixa vermelha. hehehe. :P

Fabíola Ariadne disse...

Hahaha. acho que somos parentes distantes. Depois olha no meu blog o que meu pai fez(algo parecido, mas bem pior!).