segunda-feira, 30 de junho de 2008

Bette Davis te despreza

Cheguei na conclusão que se nada der certo na minha vida me tornarei a Baby Jane. Ela que era uma criança prodígio, uma Maísa (quem sabe é uma premonição?), e se deu mal mas também aprontou muito.

Quero fazer muitas maldades no asilo, colocar rato morto no jantar da minha colega de quarto e principalmente tomar 6 garrafas de Black Label e Gim.

Se é pra terminar na pindaíba vamos terminar sem dignidade.

Malvados do mundo, uni-vos.

domingo, 29 de junho de 2008

Festas Juninas/Beber, Cair e Levantar...

As do interior são as melhores.
Por exemplo, quem ri na fila do banheiro feminino vendo o pessoal querendo dançar "Pimpolho é um cara bem legal pena que não pode ver mulher...".

Conversas inesqueciveis:

Rafael: ...depois de um tempo bate forte
Priscila: Bate forte o tambor eu quero é tiqui tiqui táaaa...
Thaís: AHAHAHAHAHAHAHAHA
Tatiane:Aiii agora ententendi.... aii mente suja você com esse bate forte
todos: HAHAHAAHA

Vale a pena rir...

Primeira vez na vida que dancei créu e foi com o vestido xadrez, SUPER propício para uma festa junina.
Doce de abobora é o melhor pra todo sempre, além do bolinho de frango, vinho quente. Estou brigada com o quentão, gengibre só estraga a língua da gente.

P.s.: Deixar o computador longe de mim após sair da CNTP.
ô ressaca lascada.
P.S.²: Eu sou a pessoa que acende cigarro perfeitamente... na fogueira.

sábado, 28 de junho de 2008

Eu que fiz

Não gente, não to trocando a enfermagem pela Moda (quem dera). Pros que não sabem, eu faço o curso de corte e costura, uma forma de exorcizar a minha alma bem penada.


Eu liguei pra Djzel pra ela tirar as fotos pra minha "coleção", mas ela ficou com gripe. Ai eu resolvi dar a câmera pro velho e ele mesmo fez as fotos. O resultado é esse, eu morrendo de vergonha.

Sim eu tenho noção do mico, não gosto de tirar foto "montada" (estilo pirigueti indo pra balada). Mas eu precisava mostrar como ficou meu vestido, deu um baita trabalho. Dois meses (isso mesmo) de dor de cabeça e broncas por não ter costurado retinho um ou outro detalhe.professora Nívea é exigente). Da um super orgulho depois que o trabalho fica pronto. E o melhor é que só eu tenho um deste. Peça única e feita por mim mesma.

Ah, ganha um B e um A quem adivinhar em quem eu me inspirei pra fazer a perninha cruzada. Valendo já.

Escutando James Morrison no Live from abbey road. Gracinha de menino.
p.s: Ja no primeiro dia e esse vestido ja esta me dando sorte. Vamos esperar que ele não me decepcione.

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Férias

Até que enfim!
Depois de um mês de pura preguiça, estudos na base do café, diversas indecisões a respeito do futuro, espera de concurso (que até agora não saiu) e pouca diversão, tenho que dizer que o mês práticamente acabou.

O mês inteiro de Julho vou estar livre do curso de enfermagem, mas não do Cumão e do curso de matemática. Isso significa que vou ter que trabalhar por mais duas semanas (argh) e ainda vou ter que estudar horrores. Alguem merece ter que enfiar a cabeça em logaritmos, limites, derivadas, tangentes, trigonometria... Não né? Pois é.

Eu to ficando tão louca com isso tudo que começo a amar o cara que pensou em Integral. Eu o amo tanto que voltaria no tempo só pra matá-lo com as minhas próprias mãos (ou com uma espingarda muito das boas). Como diz Aline Durel "Pensar dói, me deixem ser burra".

Eu vou ter que estudar tudo isso, além de muita gramática (pesadelos), física e química. Biologia eu gosto e muito. Se rolar um tempinho talvez eu volte a ver minhas queridas história, geografia e literatura (ô saudades).

Mês de julho tem que se preparar pro Enem. Vou ter que escrever horrores de redação e pretendo postar as menos piores aqui (ai vocês dão as notas). Vou tentar um curso la no Hell de Janeiro então minha nota na prova tem que ser MUITO boa. É um mês se lascando pra ter anos de diversão na praia do copacabana. Será que vai prestar? Bem, vale a pena tentar e sonhar né.

Hey pessoal, fiquei sabendo ontem que meu orkut tava bloqueado. Esse seu orCu é cheio das "nove horas" e eu realmente não sabia, foi mals. Mas quem quiser entrar la pra dar uma fuçadinha, fica a vontade. Não é nada mal deixar um recadinho também.

Logo mais novidades COM FOTO pra vocês.

Ao som de Mika - Love Today!

p.s: Acho que estou começando a crescer (soltem os rojões). Vou começar a postar aqui algumas das minhas idéias políticas e filosoficas (as que eu só coloco em papel). Acreditem em mim, eu tenho. Vai ser dificil, eu sei. Por favor, na pior das hipóteses lembrem que eu só (????) tenho 20 anos e vivo como uma menina de 15.

quinta-feira, 26 de junho de 2008

O diabo veste prada

Quem fez escreveu esse livro não conhecia a minha chefe. Se conhecesse
saberia que o diabo veste sapato azaleia, aqueles bem barulhentos pra gente escutar a distancia quando ela se aproxima.

Minha chefe é doida de pedra. Tão Louca que eu tô sem historia pra contar sobre ela
de tantas que ela faz e eu acabo me confundindo.

Droga. Eu não posso pedir demissão, mas amaria ser despedida.

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Da série: Músicas antigas que refletem o tempo atual

Por que certas músicas parecem ser uma profecia, mas descrevem direitinho o que ta acontecendo comigo e com meus amigos.


- Teatro dos Vampiros - Legião Urbana


Sempre precisei
De um pouco de atenção
Acho que não sei quem sou
Só sei do que não gosto

Nesses dias tão estranhos
Fica a poeira se escondendo pelos cantos
Esse é o nosso mundo
O que é demais nunca é o bastante
A primeira vez
Sempre a última chance
Ninguém vê onde chegamos
Os assassinos estão livres
Nós não estamos
Vamos sair
Mas não temos mais dinheiro
Os meus amigos todos estão
Procurando emprego
Voltamos a viver
Como à dez anos atrás
E a cada hora que passa envelhecemos dez semanas
Vamos lá tudo bem
Eu só quero me divertir
Esquecer desta noite
Ter um lugar legal pra ir

Já entregamos o alvo e a artilharia
Comparamos nossas vidas
Esperamos que um dia nossas vidas possam se encontrar
Quando me vi tendo de viver
Comigo apenas e com o mundo
Você me veio como um sonho bom
E me assustei
Não sou perfeito
Eu não esqueço
A riqueza que nós temos
Ninguém consegue perceber
E de pensar nisso tudo
Eu, homem feito
Tive medo e não consegui dormir



terça-feira, 24 de junho de 2008

O que raios é o dia de hoje?

Eu vou chamar a sorte na chincha. Não é possivel ter acontecido uma cagada MASTER dessa comigo. E no mesmo dia que me levam a pagar um king kong.

Não tô de mal humor, cumprimentei todos os velhinhos simpáticos da minha rua hoje quando ia pro supermercado. Até ajudei a senhora que deu um baixa Créu naquela mãe cretina (post de baixo) a carregar as sacolas até o fusquinha dela. E o que eu ganho de recompensa?

Ontem resolvi assistir Felicity mas só consegui COMEÇAR a baixar hoje. A internet aqui de casa é banda larga mas aquela mais barata do plano. É uma semi discada, com a diferença de ter o telefone livre. Ia levar três horas pra baixar e eu tenho que me contentar. Quando estava em 90% do download, eis que CAI A ENERGIA NA MINHA RUA.

Eu esperei por três horas pra nada. Nada de Ben, Felicity, Noel. É eu e minha vontade adolescente de ver o programa e alguma força superior ta querendo zoar com a minha cara.
O que vai ser no final do dia? Eu ser atropelada por um fiat 48 e morrer de tétano?

Droga, lembrei que hoje sai o resultado da minha prova do curso. Vou me benzer ali e ja venho.
Alguem pode me desejar boa sorte? Hoje é o dia de algum santo ou orixá?

Mais uma sobre supermercados...

O Supermercado Pão de Mel está virando minha balada. Não é possível que tudo que tenha que acontecer com a minha pessoa ultimamente é la. Poderia ser o Extra 24hrs(que realmente é legal de madrugada). Vida devagar é assim, só que dessa vez não foi um tio bonitão nem uma menininha graciosa e sim um muleque pestinha de uns seis anos vestido com uma camiseta falseta do São Paulo e com cara de tentado. Eu adoro criança, mas as EDUCADAS e BOAZINHAS. Essas chatas podem passar longe de mim.

A história foi assim. Hoje de manhã, minha pessoa foi comprar café (sou viciada) e contava as moedas e nessa as derruba no chão. Ajoelhei e fui catar as moedinhas que tinham caido de baixo da prateleira. De repente sinto uma coisa puxando a minha calça bem rápido e do nada a sensação metálica no meu cofre. Dei um pequeno berro. Ok foi um bem grandão mesmo de susto. Viro e vejo um moleque branquelo e cheio de janelas na boca, todo ensabadinho atrás de mim dando risada até não querer mais. Nessa a minha cara ja tava fuzilando o muleque imbecil e eu disse bem brava (segurando a calça): CADÊ SUA MÃE?

A imbecil tava do lado dele, dando risada contida. Tem cara de ser aquelas meninas novas que tem filho com 15 anos, idade que devia brincar de boneca. Ela não deu bronca nele, segurando a mão de infeliz "Ai moça, ele é criança não briga com ele pq ainda não sabe oq faz".

Mil e uma respostas pra dar pra esse ser. Literalmente filho de babaca, babaca² serás. Eu fiquei pasma ali olhando pra ela (quem me conhece sabe que em certas situações eu travo mesmo). Só que uma senhora mega elegante estava no corredor e passou o maior sermão na mãe imbecil "A educação vem do berço, que ser pobre não é desculpa". Se não fosse comigo ajoelhada no chão, seria lindo de ver. A moça rindo falou "Ai filho não faz mais isso tá"

Fui pro banheiro e vi que as poucas pessoa no supermercado estavam olhando pra mim. As meninas do caixa olharam daquele jeito de dó, agora os meninos do pacote meio deram sorrisinho de lado. Nunca gritei tanto FDP na minha vida. Vontade de voltar e surrar o moleque e a mãe dele junto. Como essas coisas acontecem comigo cara?

Mas como sou um ser superior a certas coisas eu não ia arrebentar o moleque ou enfiar um saco de moedas de um centavo no rabo dele. Eu só desejo no fundo do meu coração que ele se torne professor um dia e tenha TRINTA MOLEQUES CHATOS como ele pra aturar. Eu desejo de coração que aquela mãe ganhe uma palestra do Içami Itiba e aprenda a dar educação ao seu filho.

E pra ser sincera (fazendo minha as palavras de Seu Lili) prefiro ter um filho VIADO do que ter um filho como este. Se bem que o menino é são paulino, então bambi já é né.

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Para uma segunda-feira REALMENTE DIVERTIDA

A Warner Chanel me presenteou com o programa da Ellen. Iupi!
Eu conheço o programa dela de alguns vídeos engraçados no youtube, mas não o programa na integra. A tv a cabo aqui de casa não tem os canais dos states (sonho de consumo com a sky-directv).
Essa foto foi do especial Halloween (meu niveR) em que ela se fantasiou de Jeniffer Lopez. Miacabei de rir.
O problema é o horário. Passa bem na hora do meu curso. Mas como as férias estão chegando vou bater o cartão vendo a Ellen.
Juro que se eu não fosse tão hétero, essa eu pegava.

domingo, 22 de junho de 2008

Coisas que ganham meu coração...

...meninos carregando bebês.

Pode ter certeza, homem bonito e sensível sendo gentil e tomando conta de criança realmente me fascina.

Na fila da padaria do supermercado, tinha um cara moreno todo bonitão com uma menininha de mais ou menos 1 ano no colo na minha frente. Eu adoro criança e quando uma pequenininha olha pra mim eu fico cheia de fazer caretas e gracinhas. A belezinha correspondeu minhas palhaçadas e começou a dar risada bem gostosa.

O cara virou pra ver o que era e nessa eu fiquei mega tímida, parando com as brincadeiras. A menininha fez sinal que queria vir pro meu colo. Eu que não sou tatu, perguntei se não podia né. Eu amo criança, realmente quero trabalhar com elas. Não mais em sala de aula (NEVER again) mas no hospital ou em clínica.

Mas o cara era realmente lindo e ainda de óculos, faltava um jaleco ou terno pra ser perfeito. Nessa meu coraçãozinho fez PUFF e minha bochecha ficou um tomate de grande e vermelha. Eis que falo "Linda sua filhinha, uma gracinha" e ele me diz todo cheio de sorrisos "não é minha filha, é minha sobrinha, tô so tomando conta".

Nessa eu peguei o telefone dele, marcamos de nos encontrar, para realmente nos encontrarmos como alma gêmeas, ja que nos identificamos totalmente. Ok, é mentira. Um pitel daquele, com seus 29 ou 30 anos, não daria bola pra uma menina de 20 anos toda descabelada, usando moletom do mickey e crocks sujo que num domingo de manhã ta comendo pastel de queijo com coca cola zero e escutando Justin Timberlake ( I can't wait to fall in loveeeee with you).

Devolvi a garota pro cara (que ameaçou um semi choro mas logo ficou calminha no colo do tio bonitão) e ele foi embora com o saco de pão. Definitivamente eu vou rir sempre que lembrar dessa cena mas não posso deixar de pensar "Ôooo lá em casa".

Assistindo Quase Famosos neste momento pela tv, tenho que dizer que amaria ser a Kate Hudson hoje de manhã, ou pelo menos a personagem dela no filme, assim eu estaria linda e maravilhosa e quem sabe não ganhava o Gathom né.

Deu pra perceber que eu me amarro numa amor platônico e bem impossível né?

sábado, 21 de junho de 2008

Dona Margarida

Odeio certas chatices da minha mãe, principalmente quando ela me faz passar vergonha na frente das visitas. Ela fala umas coisas que quem não conhece acha que é alguma coisa absolutamente normal, mas não é. Ela ta induzindo pra falar OUTRA COISA.

Acordei de manhã pra atender a porta pras amigas dela e voltei a dormir. Quando passei de novo na sala ela fala "Bom dia né, Pri", que queria dizer "Fala bom dia pras visitas Priscila". Eu respondo com o "Ja falei bom dia mãe, esqueceu que fui eu que fez sala". Ô saco, mico que carrego que é de outra pessoa.

Tem alguns dias que acordo e a minha mãe quer de todas as maneiras que eu peça a benção. Mas o detalhe é que ela nunca me ensinou a fazer isso, alias nós nem católicos somos e esse é um costume deles e não nosso. Soa muito forçado, principalmente porque eu tenho 20 anos e começar com uma "tradição" agora é pura bobagem de gente antigo. Decididamente este não é um dos meus planos.

Um dia desses, a mãe chegou e falou:
_ A benção, Pri. (que queria dizer "Pede a benção pra sua mãe")
Eu que não sou tatu, pus a mão na cabeça dela (eu sou mais alta também) e disse:
_ Ta abençoada mãe. Agora pode ir em paz.

Meu pai caiu na risada. Nem preciso dizer que minha mãe ficou muito puta né.

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Até no cemitério...

Morreu uma parente minha próxima então foi a feliz família pra uma despedida. Faltei do serviço e possivelmente ia faltar do curso. Chegando no velório, todos os sinais que o sepultamento ia ser cedo. Tinha muita gente chorando em torno do caixão e começou a dar um aperto no meu coração.

Eu não contei, mas no dia da visita do hospital morreu um homem com a gente na sala da UTI. Foi meio trash porque esperava acontecer de tudo menos alguem morrer comigo perto. Mas eu não imaginava alguem querido na mesma situação, então achei melhor não ficar na sala do velório.

Fui pro carro e chorei por la, mais em paz. Fiquei lembrando dos momentos com a parente, ri um tiquinho e chorei mais um tanto. Eis que vejo o "cortejo" indo pro cemitério. Toda desesperadinha sai com pressa do carro.

Tava frio pra caramba, la no meio do cemitério enfiei a mão no bolso. Senti que tinha esquecido algo no carro, mas o que podia ser? Sabe quando você esquece o que ta fazendo completamente pra ver O QUE RAIOS PODE TER PERDIDO. Deu uma luz na cabeça e tive que sair correndo.

Cheguei no carro e olhei toda sem graça morrendo de vontade de rir da minha burrice mór. Esqueci a chave do carro em cima da minha bolsa. La estava ela toda linda, intacta e longe pra caramba da janela, que não tinha nem uma frestinha.

Fui toda sem graça falar com meu pai. Ele tava todo cabisbaixo com os amigos dele. Cheguei de quetinha observando as covas. Pensei "dependendo da reação do meu pai, acho que vou passar a morar numa dessas".

A conversa que se passou foi bem assim: "Pai, fechei o carro"
"Ta, Cade a chave"
"Esqueci dentro do carro"

Os amigos do meu pai olharam pra mim, mas começaram a rir sem parar de mim. Nessa eu também não aguentei e dei minha risadinha tradicional. E isso num enterro... imagina essa turma do meu pai no bar.

Fomos ver o carro, meu pai e meu tio foram ver um chaveiro e eu fiquei la observando a linda chave. Eles trouxeram um chaveiro que não levou DOIS SEGUNDOS enrolando. Me senti a maior troxa do mundo. Magina um ladrão com um treco daquele, leva o carro na hora e ninguém percebe. Isso porque o cara cobrou VINTE PILAS pra abrir a porta. Como assim, aquilo era abrir a porta do carro, não foi nem dificil. Vontade de morrer. Não... eu tava do lado do cemitério. Vontade de matar mesmo. Ainda teve que levar esse zé mané insensível que não entendeu a dor da família e enfiou a faca.

segunda-feira, 16 de junho de 2008

A partir de agora vai ser assim

Sempre que eu chamar um garoto de amigo, cumpadi, paicelo, campião ou qualquer outra forma que indique AMIZADE, pode crer... eu quero isso mesmo.

Quando eu chamar algum cara de GATHOM, pode crer, é segunda inteção mesmo.

Eu nunca me interesso se um cara é bonito. Sou mais um lance "conjunto da obra". Lembrando que criei uma escala de graduação pra definir o meu gosto. Vamos lá

Apático: não vira nem pra amigo. Não desce, não vai. So uma proxima encarnação. Sem beleza ou inteligência, não faz nem uma gracinha pra ser considerado gente. Ecow!

Antipático: normalmente dou essa conotação pra aqueles caras MALAS, que se acham os gostosos. As vezes até são mesmo, mas de tão "sim sim sou bonito e to podendo" não me desceriam nem com um coma alcoólico.

Simpatiquin: resumindo, nem depois de um litro de vodka. Mas deve fazer sucesso com alguma amiga. Tem la alguma qualidade que eu não vou tentar descobrir sozinha, deixa que depois alguma louca me conta.

Simpático: O cara tem algum charme. Não é lindo de morrer (ou pode até ser) mas também tem aquela inteligência. Ja vi caras que são bonitos e inteligentes mas não sabiam conversar. Tipo, aquele cara que com uma lata de cerveja eu até iria, mas com a sensação que não é pro meu bico. Algo que não rolou química na hora, mas quem sabe pode surgir depois. Normalmente são os que se tornam AMIGO.

Simpaticão: Opa. Foram pouquissimos caras que ganharam essa conotação da minha pessoa. Posso citar Matt Damon e o James McAvoy. De caras reais? o maniaco do banheiro, hehe. Aquele cara que não precisa ser o mais lindo do lugar e nem o mais inteligente, mas que me faz sorrir. Isso mesmo, eu não sou tão ambiciosa assim. Aquele que tem alguma parte do corpo ou do jeito de se portar me fez olhar e pensar "ô lá em casa viu".

Ôooh Lord!: Precisa definição? Até agora só Brad Pitt e Reinaldo Giannechini. Normalmente aqueles modelos de revista. Ai nem perco tempo com esses. Da até preguiça de pensar sabe. Muito impossíveis. E tals. Os dois outros astros hollywoodianos acima citados ainda da pra pensar antes de durmir, parecem ser aqueles vizinhos bonitões que todo mundo tem. Esses dois ai não. Acho que nem chulé devem ter.

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Promessas

Quando sua vida profissional ta uma droga é sinal que a vida amorosa ta uma droga, CERTO?
Não.
Quando sua vida amorosa ta ruim é sinal que suas amizades tão la em cima, CERTO?
Não totalmente.
Quando sua vida não é tão agitada é sinal que seus estudos estão ótimos, CERTO?
Vixe maria passou longe.

Como tudo não tá as mil maravilhas, bem... faço a aposta comigo mesma. Esse final de semana EU NÃO VOU ENTRAR NA NET. Vou fazer o possivel e o impossivel, cada vez que pensar em entrar no pc correr para ESTUDAR ou ler. Contando com a tv também.

Gente, cade meu futuro brilhante? Precisa estudar pra isso. Mas todo dia to dormindo tarde pra caramba e ficando totals com preguiça pra estudar. Looooord.

Será que eu consigo?

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Melhor dia dos namorados EVER...

Vasos com flores?
Ursinhos de pelucia?
Chocolate?
Declaração de amor com carro de mensagens?
Pedidos de casamento na frente de toda a família?
Ai tudo isso é so old season. De verdade, não enganam ninguem. Bobagem total.

O meu dia 12/06 foi com um mega sono de não ter dormido a madrugada toda (em torno de 36 horas),passei super agitada por ter tomado horrores de pó de guaraná o dia todo, tive que aguentar a chefe mala de mal humor e o resto do povo feliz com seus respectivos namorados, morrendo de fome porque não comi nada direito e com uma mega preguiça existencial.

Melhor parte do dia? Claro que teve. Encontro com o Johnny!

Peguei na locadora "Sweeney Todd", uiiii... adoro sangue.

Romantismo nessa época do ano não é a minha praia.

E falando em sangue... adivinha quem ta indo pro hospital amanhã. EU!

Vamos apostar se não vai ter algum paciente que vai vomitar na minha calça branca. Adoro tudo isso.

UPDATE: Gente, vocês não vão acreditar oque eu ganhei no dia dos namorados. Os dois livros lá embaixo. hehehe e da melhor pessoa do mundo pra me presentear: Mamãe. A história foi assim: _ Mãe, empresta o cartão pra eu pegar UM livro?

_Empresto. Ta na bolsa.

Viram, romantico pra caramba. E isso porque o preço coincidentemente CAIU. Ganhei presente do dias dos namorados da minha mãe (sem ela saber).

quarta-feira, 11 de junho de 2008

A prova de que eu sou azarada no romance também

É legal pensarmos em nós como “catadores” de vez em quando, mesmo que não pegue nem resfriado devido a falta de dindin pra pagar o remédio.

Ok ok, eu paquerei ou literalmente dei em cima de um cara esses dias. Pergunte me quem é o ser e eu direi que foi um interesse platônico. Temos amigos em comum, moramos na mesma cidade e o único encontro na rua, ele tava de carro perto de casa.

Olhei pra ele na balada, e ele tava sentando bem longe, com uma menina que subiu no palco pra dançar e minha amiga do lado. Pensei “puxa, demorei demais”. Mas me aproximei do mesmo jeito.

Estranho quando a gente se interessa por alguém que não sabe (ainda) da nossa existência, mas que a gente já fuçou e muito no terreno (facilidades do orkut). Quando ele ficou sozinha, bora eu dar uma de desentendida, puxar assunto como se eu não conhecesse.

No fundo eu sou mega tímida. De cara limpa eu não sei provocar ou fazer nenhum xaveco. Eu faço brincadeiras mas só quem nunca vai rolar nada. Pra ser sincera, acho que nem com um tico de álcool paquero. As vezes que baixa uma personagem diferente e um nego cai. Momentos raros.

Consegui pegar um papo com o campião. Outro costume besta que vem piorando: chamar os meninos de campião, amigo, cumpadi e coisas do gênero. Bobo, mas me faz sentir um moleque também. Me sinto mais a vontade.

Outro erro, puxei assuntos muito exatos com o menino, momento casas bahia (dedicação total a você). Lembrando agora, ele não perguntou nada sobre mim. Se ele começasse a falar sueco eu juro que tentava descobrir alguma palavra pra me mostrar. Nossa, como eu sou descolada.

Na hora de ir embora, la vai eu pedir carona. Todo mundo dentro do carro. E mais meninas junto. Ele saia de perto e eu no pensamento “Ui esse eu quero”. Até falei alto, toscamente, que com esse eu casava. Quem ouve pensa “que tonta”. Mal sabem que casamento só com o Matt Damon, essas coisas eu falo da boca pra fora. Já falei que sou mentirosa quando bebo.

Pulando pra parte que interessa. Mocinho me deixa perto de casa e eu tava total na dele. Tocava Rolling Stones, simpathy for the devil pra ser exata, e eu falei que era fã. Isso porque escutei a musica dos caras aos picados e o único show que vi foi aquele de copacabana foi aquele que passou na globo (e não tocou a minha favorita “Anybody seen my baby” ).

Por uma razão, o garoto sentou atrás no carro. Uma das meninas estava entre nós e eles começaram a conversar. Ela não queria que ele acendesse o cigarro, ai eu acabei acendendo pra ele (não foi sexy). Na hora de eu ir embora, dei um beijo no rosto dele perto da boca. Foi extremamente besta.

Ta eu vou explicar. Ele me ofereceu o rosto pra dizer tchau e eu juro que não mirei direito, era pra sair bochecha e saiu algo meio dado.

Quer dizer, sabe quando você acha que ta mega abafando mas na verdade a maquiagem ta borrada, o laquê (que eu não uso) já deu o prazo de validade e a escova já saiu com a água do suor.

Eu não sei direito a cara da menininha, que estava entre nós, ficou depois que eu sai, mas começo a achar que ela era a garota que ele queria ficar e eu atrapalhei. Ela é do tipo “inha”. Bonitinha, magrinha, chapinha, riquinha. E eu não sou nada disso, acredite em mim, e nem quero ser. Mas é esse o tipo que faz sucesso.

Quando eu ver esse menino na rua, ele não vai me cumprimentar. Provavelmente nem vai se lembrar. Eu vou passar por ele com meu fone de ouvido (tocando Duffy), com o cabelo cacheado e bagunçado, vou olhar pra baixo e dar muita risada comigo mesma.

P.s: ouvindo Comfortably Numb. Coincidentemente

terça-feira, 10 de junho de 2008

Americanas... não faz isso comigo não

Adoro comprar coisas pela internet. Pena que eu tenho que pedir pra usar o cartão da mamis e pedir que ela pague pra mim. Situação ta ruim de dinheiro né.

Mas agora foi PURA MALDADE COM A MINHA PESSOA. Eu amo comprar livro porque eu adoro ler. Ja passou a fase "Só coisa de vestibular", então to atacando todos os best sellers e bem indicados. Primeiro passo pra minha bibliotecazinha.

Os meus dois livros "Top Eu quero" tão em promoção. Comprando "Ensaio sobre a cegueira", do José Saramago, e "Reparação", do Ian McEwan, fica em apenas (haha) 65 pilas. Vai me mata do coração, me chicoteia, chuta e faz oque quizer, mas ALGUEM ME DÁ ESSES DOIS LIVROS?

http://carrinho.americanas.com.br/portal/acom.portal?urlContinuarComprando=%2FAcomLine%2F1472%2F1493&_nfpb=true&_pageLabel=carrinho&portlet_cart_actionOverride=%2Fportlets%2Fcart%2Fcarrinho&sku=97708%2C103801&x=75&y=27

pode clicar. hehehe. não é virus não.

Ao som do album "Magic" do Bruce Springsteen. Mto Mto bom.

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Into the wild - Na Natureza Selvagem

Escrevo esse post ao som da maravilhosa trilha sonora deste filme, que também é o primeiro album solo do Eddie Vedder. Não consigo parar de escutar “No Ceiling” e "Long Nights". Acho que depois de um fim de semana lotado de atividades extracurriculares e pequenos atritos, é estranho dizer que essas são as músicas do meus dias, todas calmas e profundas, um tanto melancólicas. De certa forma, são as que estão dizendo pra eu declarar logo a independência, enfiar a mochila nas costas e iniciar minhas aventuras.
Assisti esse ótimo filme, muito bem indicado por vários blogueiros de plantão. Nem vou contar sobre ele, ja que sempre falei que não era crítica de cinema, apenas uma amante platônica e sem muito conhecimento.

Estranho. A história é real, o rapaz morreu de inanição após chegar no seu destino, mas não tem como não querer fazer a mesma coisa. Sentir que não existem amarras em um lugar, observar as pessoas como se fossem a última vez, mesmo elas implorando pra ficar. Eu tenho muito disso, o tal do "último olhar", como uma forma de valorizar. As pessoas que mais amei conhecer, são aquelas que eu demoro pra rever.

Ultimamente eu to muito assim, enjoada demais da minha cidade. Alias, eu sempre estive mas não por odiar aqui, no fundo não sinto isso. Eu estou cansada da rotina, de não haver experiencias novas e do rumo que as coisas estão tomando. As pessoas daqui se importam muito com pequenos detalhes e eu tento demais agradar todas elas, me magoando. Isso me deixa doente. Simplificando, eu nao me encaixo mais em nenhum lugar, não me sinto mais a vontade.

As vezes eu acho que ja cumpri meu papel de filha e estudante. Que ta na hora de eu procurar o meu Alasca (que no meu caso se chama Patagônia), as minhas paisagens, as minhas experiências. Eu ainda não conheci o mundo, só fui até Taubaté (acreditem em mim quando digo isso). Quando fui embora, morei com a minha tia e isso não significa que "sai de casa". Foi mais umas férias prolongadas na presença dos primos malas.

Talvez eu seja muito inocente, como muitos andarilhos, em achar que é um mar de rosas enfiar mochilas nas costas. Acho que se eu fizesse como o Chris, talvez cometeria o erro fatal de todo dia ligar pro meu pai avisando que eu to bem, só pra não matar o velho do coração e voltaria no dia seguinte. É uma das probabilidades.

É só assustador demais achar que estou na vida adulta. As diversas preocupações cotidianas, as palavras soltas que podem se tornar ofensas, a falta de emprego e consequentemente de dinheiro. A enorme quantidade de compromissos e ter que seguir um padrão de comportamento igual ao das outras meninas me deixa de cabelos em pé.

Ai chega. Ja deu pra muita ver que to de saco cheio e quero viajar. Vou ali na rodoviária ver o horário de ônibus e daqui a pouco volto. Vou enxer minha mochila com bastante comida, pra não ter perigo de passar fome.



When you want more than you have
You think you need...
And when you think more than you want
Your thoughts begin to bleed
I think I need to find a bigger place
Because when you have more than you think
You need more space
"Society"





domingo, 8 de junho de 2008

Mais um daqueles dias...

Alguem consegue estudar no domingo?
Eu juro que tento e não consigo. Livros e mais livros acumulando. E nada daqueles opcionais, tem diversos trabalhos do curso que deveriam estar prontos e eu nem comecei a arrumar a matéria. Isso porque trabalho amanhã cedo e vou ficar totalmente sem tempo pra fazer as obrigações.

Respondendo com um post a pergunta da Cinthya, ainda não saiu a convocação do concurso da prefeitura daqui. Eram 10 vagas, com 1.000 inscritos, e eu peguei em 29° lugar com 14 pessoas empatadas comigo. Teve uma questão que foi anulada, e eu considerava ela certa, fazendo diminuir minha pontuação. A menina que pegou 15° lugar é mais nova do que eu, isso significa que se eu tivesse acertado mais uma ia passar na frente dela.

Diz que isso não desanima o dia da gente. Alias, faz desanimar prestar concurso publico. Tudo a gente pode ser passado pra tras. Acho que tem que estudar MUITO pra gabaritar. O concurso que teve aqui era muito por sorte devido as questões absurdas, mas as outras provas tem que ser muito bom, saber de fato sobre os assuntos específicos. Acho que só não frustra mais que vestibular. Esse é campião em deixar todos loucos.

Mas caindo na real. Se eu passar, não quero ser chamada agora. Queria terminar uma parte do meu curso de enfermagem ou pelo menos fazer o primeiro estágio pra ter noção se é com isso que quero trabalhar. Vou fazer estágio de manhã, que tem mais atividades dentro do hospital e realmente tem casos interessantes pra acompanhar. De tarde vou trabalhar la no Cumão (se a minha chefe ainda me quizer). Tô pensando sériamente em fazer faculdade de Engenharia Ambiental na UFSCar aqui da cidade.

Quem vê pensa que minha cidade é chique. Nem é, é curso a distância mesmo. Não tem aquele clima de universidade mesmo. Mas quero passar e fazer (quando sair a inscrição... ô) pra saber se eu gostaria de trabalhar num curso de exatas. Ok ok... eu ja entrei num curso de exatas, que trabalhava dentro de um hospital e sai porque acreditava que era de humanas/biológicas.

Acontece que a garota do ano passado não é exatamente a mesma desse ano. Pisei na bola, eu sei. Mas HOJE eu gostaria de estar no curso de Tecnologia em Saúde, ano passado eu não queria. Naquela época, eu estudava pra psicologia e para trabalhar no banco do brasil. Achava que minha vida estaria feita com 20 anos. Como muita coisa deu errado, percebi que quero trabalhar dentro de um hospital.

Eu sou passivel a mudar de opinião. Mas por enquanto, vou fazer diversas experimentações. Não podemos deixar as chances passar né?

sábado, 7 de junho de 2008

Na baladinha

Pra dizer que não aconteceu nada. Essa vai ficar ETERNAMENTE na minha mente (a rima não foi proposital). Amiga japonesa de SP resolveu passar outro final de semana em Itapê comigo e com a amiga. As baladas por aqui funcionam por dia, como se fosse rodizio mesmo pra encher o povo e dizer que tava bom, mas o BARBOLICHE é bem bacana.

Fomos ver alguns amigos tocar e os meninos mandam bem, deu pra cantar todas as músicas e remexer o esqueleto com muita poeira e teia de aranha (exageros). Eu tenho uma facilidade pra falar quando tô de boa e depois de duas latas de cerveja ai falo tudo o que ta na mente mesmo. E pago mico. Diversos, com direito a gritar "Tudo puta e viado" em festa de HT. Ainda bem que não apanhei, isso sim é brincar com a vida.

Falando em quase morrer, o pEor quase aconteceu. Quando eu vejo que a vaca foi pro brejo no sentido horário de voltar (eu ainda tenho isso), eu chuto o balde e venho no amanhecer mesmo pra de alguma forma "voltar cedo". Peguei carona com o amigo da minha amiga, que se tornou meu amigo no ultimo instante, de falar a cada cinco segundo "AmigoW" e o menino é uma figura total, quer engenharia ambiental que nem eu (assunto pra outro post). Confuso né?

Muita gente dentro de um carro, povo foi embora até no porta malas (mega divertido) e ainda ouvindo metallica (boas épocas) e rolling stones. Vontade de dançar rock'n'roll, muito tempo que isso não me ocorre. Aqui também não rola baladinha assim.

Enfim, o momento da noite. Amigow esqueceu totalmente a função do espelho retrovisor. Digo isso pq eu nao sei dirigir mas eu acredito que aqueles espelhos tem alguma função importante alem de passar batom. No cruzamento, ele seguiu reto em vez de virar e foi consertar dando ré SEM OLHAR primeiro e enfiou o carro com tudo em outro.

E ai ... Fodeu? Que nada. Literalmente levantar as mãos pro céu e agradecer que a pessoa do outro carro tava indo pra igreja. Isso mesmo IGREJA. Nós somos jovens e irresponsáveis que estavamos alcolizados e a moça ia pra igreja. Eu garanto que ela deixou passar porque não viu o capô bem batido dela. Passou um mega sermão e deixou a gente ir embora. Tipos, um fato que não acontece MESMO. Acho que foi alguma luz que deixou o coração da pobre moça mais alegre. Ou era promessa, vai saber.

O AmigoW ficou branco de pasmo. Eu achei mais engraçado que o menino querendo fumar e a menininha do lado dele não queria deixar pra não feder a roupa dela. Gente, magina você nervoso por ter batido DOIS CARROS, se livrar da encrenca mór e não deixarem você relaxar pra não feder a roupa. Paciência.

Quando cheguei em casa, percebi que perdi meu dinheirinho. Gente, eu tava de bolsa mas tinha guardado. Coloquei o dinheiro no lugar que achava mega seguro: o sutiã. E mesmo assim eu perdi. Odeio perder dinheiro, mais que qualquer um. Ainda mais quando foi decretado oficialmente meu estado de falência (meu pagamento MEGA REDUZIDO). Espero que alem de ter perdido meu dindin, eu ter dado uma de Narcisa por ae. Odeio usar decote também. Droga.