segunda-feira, 19 de maio de 2008

O azar é de família e o mico também

Não Não, desta vez o King Kong não é meu.

No intervalo entre as aulas, fui eu fazer um lanchinho em um lugar diferente: a pastelaria onde a ex-namorada do meu irmão trabalha. Chegando lá, encontro a dita cuja. Ela é sempre super sorridente pra mim e eu respondo a altura, pergunto como ela tá e tals. Foi a primeiro relacionamento sério do meu irmão e senti muita falta dela quando ele teve a mocréia da segunda namo.

Desta vez ela me chega e me conta que meu irmão ligou pra ela mas em um horário meio complicado de se falar. Justo quando ela ia pra maternidade ter o bebê.

Fico eu imaginando a situação do meu irmão bobão. Um dia tava de bobeira, sem mulher e resolveu matar a saudade da "Primeira". Ai liga pra ela todo empolgado e escuta um "Ai zé... não posso falar... to no meio de uma contração... indo pra maternidade". Desligava o telefone e ainda dizia "Ainda bem que o filho não é meu". Tadinho, o mar não ta pra peixe pra ninguem.

6 comentários:

Monise disse...

Priii, essa foi boa...mico hereditário...hahahaha

Ice Ice Baby disse...

hehe...micão total!

menina (sem) veneno, não esquece de visitar o bloguinho novo hein!!

www.newbrecho.blogspot.com

oukie doukie?

bjs chuchu

Bruno disse...

hahahahaha! É de situações desse tipo que os grandes livros e filmes de comédio (e/ou drama) nascem.

KAZINHA LACERDA disse...

vamos combinar q essa foi engraçadíssima! huahauha

vanessa lopes disse...

kkkkkkkkkkkkk


que ótimo, seu irmão adorei...
quem não tem esse senso de inconveniência vez ou outra.

adorei o blog, bjusssss

Priscila M.R. disse...

eu tenho o senso de inconveniencia uma vez em sempre
hehehehehe

e desta vez o mico não foi meu
hehe