sábado, 12 de janeiro de 2008

No trabalho

_ Cumão, Priscila, Bom Dia!
_ Alô, quem fala?
_ Oi é a Priscila.
_ Quem?
_ Priscila
_ Mas é do Cumão?
_ É sim. O que o senhora deseja?
_ Eu sou homem.

Parece brincadera, mas isso aconteceu comigo. Não é uma vez por mês ou semana. É toda hora. Sempre que vou atender o telefone sou obrigada a repetir esse texto e sempre me respondem desse jeito. Mereço gente surda.
Justo nesse telefonema que relato, penso eu que quem estava falando é uma véia. Bobagem. Era homem mesmo e que era aluno. Eu lá tenho culpa do cara falar enrolado?