quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Que será, será

"Tem 5 minutos para se entregar a uma tristeza deliciosa. Curta-a, abrace-a,
descarte-a ... e siga em frente"



Tomo as palavras de Claire Couburn como minhas. Dei duro, fiz o que pude no momento. Para aquele curso não deu.
Prefiro pensar, com uma certa dor no coração, que tem coisa melhor reservada pra mim. Agora é seguir em frente.
Só tenho a agradecer aos amigos que torceram por mim. Mas fico meio com uma "invejinha" (não negativa, de destruição) de ver tanta gente passando na minha frente, e eu ainda nessa.
Pelo visto vou ficar mais um tempinho nesta que é a cidade mais gelada do Estado de SP. Haha vocês vão ter que me engolir.
Como diria D2, tem horas que a gente ganha, tem horas que a gente perde. Faz parte.

Acontecimento engraçado: Gente do céu. Fui pegar uma encomenda na distribuidora e passei na casa da minha amiga. Ela não tava e tals e fui embora pra casa andando rapido pra ver o resultado. Eu tava com aqueles sapatos croc no pé e tals. Nessa eu escorreguei e fui LITERALMENTE de boca no chão. Puts que MICO. A caixa que eu estava na mão meio que segurou pra eu não ir de peitcholas no chão, se não eu batia a cara com tudo. Gente nem meus air-bags* funcionaram hoje. Mereço, to mega arranhada, com a mão machucada. Tá doendo.

Pensamentos pré-resultados.

Eu preciso falar o quanto estou apavorada com o resultado que vai sair hoje.

Todo meu futuro vai começar a ser traçado no final da tarde, dependendo só de um "convocado".
Não sei se esse curso é o que eu quero pra mim, alias eu não sei de mais nada.

Sempre fui apaixonada pela medicina, isso desde pequena, mas só agora aos vinte anos sofro por ter deixado muita gente ter me convencido que ela não era acessivel pra mim. Agora sou mais Enfermagem, mais "fácil" e me agrada tanto quanto.

Mas o que posso fazer? Se o resultado for positivo (e tomara que seja), não posso abandonar outro curso por medo, sem ter ao menos tentado. Trata-se da UNESP, uma ótima faculdade e um curso SUPER concorrido. Seria uma burrice muito grande deixar essa chance passar.

Se eu for pra Bauru (terra do lanche) eu não sei se tenho o apoio do meu pai, mas eu começo a ganhar meu dinheiro e ser livre pela 1ªa vez. Se eu ficar aqui a dependencia sera total por tempo indeterminado.

Saco, esse é um dos males de se tornar adulta. Perceber o quanto foi imatura durante a adolescencia. Fiz escolhas erradas demais. Permitir me abalar por pouca coisa. Percebi que as pessoas mais velhas não tem muita paciencia com a minha "velhice". Meu pai acha que tenho toda uma vida (a que ele quer) pela frente. Minha mãe acha que eu estraguei tudo em 2007.

Ontem encontrei uma amiga do cursinho. Ela me disse que perdeu a vida social naquele ano e o mesmo aconteceu comigo. Parece que a gente não se enturma mais com a roda de amigos e ve muitos deles com a vida profissional mais em ordem que a nossa. Eles seguiram em frente, tem trabalho com um salário fixo, fizeram curso tecnico e ou são veteranos de faculdade. Tenho conhecidos do CEFAM que estão se formando. Dá vergonha de encontrar eles na rua.

Enfim, to morrendo de medo e queria, neste momento ter alguem do meu lado pra me apoiar (amorosamente). Deixei tudo isso de lado, mesmo tendo gostado de algumas pessoas. Egoismo? não sei. Mas dizem que sou jovem. Ainda tenho tempo pra errar mais um bocado né...
Medo de olhar no fundo
Medo de dobrar a esquina
Medo de ficar no escuro
De passar em branco, de cruzar a linha
Medo de se achar sozinho
De perder a rédea, a pose e o prumo
Medo de pedir arrego, medo de vagar sem rumo
Medo estampado na cara ou escondido no porão
Medo circulando nas veias ou em rota de colisão
Medo é de deus ou do demo?
É ordem ou é confusão?O medo é medonho
O medo dominaO medo é a medida da indecisão
Medo de fechar a cara, medo de encarar
Medo de calar a boca, medo de escutar
Medo de passar a perna, medo de cair
Medo de fazer de conta, medo de iludir
Medo de se arrepender
Medo de deixar por fazer
Medo de se amargurar pelo que não se fez
Medo de perder a vez
Medo de fugir da raia na hora H
Medo de morrer na praia depois de beber o mar
Medo que dá medo do medo que dá
Medo que dá medo do medo que dá

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

"Meu amor por você é tão grande"

Eu estava fazendo um trabalho no pc pra minha mãe, não era nada tão importante. Tinha que abrir um novo word mas fiquei com preguiça que peguei um documento sem nome mesmo. Nele estava uma conversa que tive em novembro, uma declaração que fiz e todos aqueles bla bla blás.

Naquela época, eu choraria ao pensar em apagar aquilo que ficaria guardado pra sempre na cabeça (e no computador).

Hoje eu dei muita risada em ler meu nada-pseudo dramalhão de Manuel Carlos. Digo isso porque lembro de uma frase do Tony Ramos em Laços de Família "Prefiro mil vezes amar e não ser amado do que ser amado e não poder corresponder". Super concordo com a frase (fô éveh). Mas sempre esqueço que a gente enjoa quando nada da certo e corre pra outro drama amoroso. Isso é um circulo vicioso.

Apaguei o documento e pus o da minha mãe em cima. Fim do amor que duraria pra sempre no ano de 2007.

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

H.L.

http://www.youtube.com/watch?v=IwqURnre5EY

Uma das minhas cenas favoritas do cinema. Na minha primeira fossa amorosa assisti esse filme, eu achava que o Garoto Problema se interessaria por mim. Tá baum, o da vida real não se interessou mesmo. Mas de longe, achava esse cara um dos mais bonitos de Hollywood. Penin que se foi, néverdademinhagente?
Pequena homenagem

Inominável's Wedding

Sabadão foi o casamento da minha prema. a cidadã me A-DOU-RA e quando entregou o convite pra minha mãe (a madrinha de batizado) disse que ela era obrigada a ir sem nenhuma desculpa. Obvio que sabia que eu era uma "persona non grata", mesmo tendo entrada pra mim também. Nunca bati boca com a diaxa, mas rolou uma guerra friazinha (outra hora eu conto as PÉROLAS).

Acontece que meu pai ficou todo nervosinho pois ta de saco cheio dessas ensebações e foi (pescar?) pro sítio. Nessa quem teve que acompanhar a Mamis? Valendo 5 contos.... EU!
Caras e bocas de todos. “Que cara de pau”.

A gente boa da noiva é tão bacana que no momento que minha mãe falou que eu escolhi o presente ela disse que ja tinha ganhado um igual. Totalmente phina.

A festa tava boa de verdade, disso não posso reclamar, e não sou *senducação* de dizer que tava ruim ja era uma pseudo-penetra perante minha própria familia. A vantagem de dar uma de Caroline Bittencourt (joga no google) é que come muito, bebe mais ainda e dança pakas sem estar nem ai pra comprimentar noivos. Enfim me diverti e escapei dos seguranças principalmente por que fiquei amiga das garçonete (coisa de bêbado né?)

_R. , Danny Devito ligou pedindo a fantasia de pingüim de volta, XoXo GossipGirl.


P.S¹: Corre pros comentários ver uma pequena coisinha.

P.S²: Qualquer semelhança, NÃO é mera coincidencia.

P.S³: Espero que ninguem fique bravo comigo, alias espero que ninguem descubra.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Cade o ano que estava aqui.

Na minha vida, o ano de 2008 ainda não começou.

Pros brasileiros, começam depois do carnaval. Pras putas-e-viados, começou depois do BBB. Pras mamães, só quando os bebês nascerem. Pras casadas, depois da lua-de-mel. Pra minha mãe, depois que ela assumiu o cargo dela. Pra mim só vai acontecer depois do dia 1 de fevereiro.

Não estou resmungando por isso, pelo contrário. Apesar da espera, ainda tenho um tempo "a mais" pra refletir sobre os rumos da minha vida.

Vou explicar melhor, é nesta data que sai o tão esperado resultado da Unesp. Até la, a nada doce espera. Será que passei? Tenho mínima ideia não.

Enquanto isso to trabalhando em troca de curso, "sofrendo" e ao mesmo tempo me divertindo com as meninas. As maluquisses da C. são de outro mundo. Todas aquelas filosofias do "conte até dez" "respire fundo" "Entra por um ouvido e sai pelo outro" "Finge que não é com você" cai como uma luva.

Tento pensar que se não der MAIS UMA VEZ pra passar no vestibular, não tem problema. É estudar pro curso que eu gosto de verdade, e que vai complementar melhor minha carreira. Mas penso também que se eu passar minha vida vai começar a entrar nos eixos. Estarei numa das melhores faculs do Brasil, num dos melhores campus, numa cidade cheia de oportunidades (Bauru), conhecendo um monte de gente e tendo (finalmente) uma vida universitária.

Muita gente proxima de mim vê essa minha fase como prova que sou uma sonhadora sem um pingo de senso sobre a minha realidade. Acho isso tão injusto, se não pode animar com palavras positivas então também não me desanime.

Ai não vejo a hora de ter o meu ano novo, a minha vida nova, em dizer que meus caminhos serão traçados de tal maneira. Parece romântico dizer isso, e é. Mas me sinto tão instável, e mesmo sabendo que falta pouco pra eu ter uma noção, eu continuo sem saber do que será meu ano de 2008 e como ele influenciará o resto da minha vida.

Yorkurt!

Sim Sim, escrevi errado de propósito o nome do orkut. Fechei o meu (várias) uma vez e exclui tanta gente desnecessária que essa desculpa de suicídio virtual virou velha.
Quando inventaram a bina eu até comemorei "oba, agora vou ver quem fuça". Mero engano. Ficou um saco, não pude fuçar mais.

Criei um fake, bem original até o Caminhão na coca (podem procurar que acham). Ele é super simpático, fiz vários amigos e inimigos com ele. Barracos rolaram. Teve uma menina aqui de Itape que fucei com o Caminhão e ela armou um barraco no orkut, xinguei ela de boa bisca pra baixo. Dia seguinte encontrei ela na rua, e ela me cumprimentou. Nem desconfiou de mim. Não é que eu fui falsa, mas a menina era barraqueira mesmo.

No meu fake tem uma amiga minha da época da Facul, que deu até feliz aniversário sem suspeitar que era eu. Sinal que o disfarce pegou.

Enfim, achei melhor fuçar com o meu mesmo e seja o que quiser. Tirei a trava e não liguei mais pra quem fuça no meu. As vezes bate a curiosidade e destravo, leva uns dois dias pra começar a aparecer quem fuça, e nessa o nome também ta na roda.

O mais legal é encontrar fuçando seu orkut aquele menino que te esnobava quando era mais nova. haha. Baba baby meu álbum de fotos. hehe

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Hey You, I don't like you girlfriend.

Se Homem eu fosse, Comê-la não ia.

Digo isso pra toda mulherzinha chata, mandona, barraqueira (algumas vezes), enfadada, metida, e ainda por cima feia.

Só se a fama de boa de cama fosse muito grande. Ai, seu eu fosse homem, até pensava no caso.

Adiciono mais uma coisa: Por que caras legais estão com garotas EXTREMAMENTE chatas?
Tem garota que bato o olho e digo "Só pode ser um Espetáculo na cama, não é possivel". Por que raios ele ficaria com ela se não fosse isso?

Tenho dito

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Bola fora

Entrei no Cumão como aluna e acabei trabalhando la em troca dos cursos. Como auxiliar eu não mando em nada, sou a ultima da casta e faço serviço até de boy. Agora como aluna, eu tenho um pouco mais de mordomia.

que tem momentos que a linha entre os dois é tão fina que eu acabo me confundindo. Me sinto empregada quando sou aluna, e vice-versa.

Acontece que eu estava conversando com a minha "professora" (também superiora) sobre minha caligrafia e brinquei "Se a Chefe visse minha letra no material não ia achar tão bonita" e um outro aluno acabou se empolgando e entrou na conversa.

Ele tem uma letra MUITO feia. Aquelas de criança em fase de alfabetização. O menino estava dizendo que o chefe dele perguntou se ele escrevia em árabe. Eis que eu viro pro menino e digo:

_Quer honestidade? Sua letra é feia mesmo ein. (eu com voz bem suave e calminha).

Nessa a minha superiora levanta a cabeça incrédula e o menino me olha com um olhar pego de surpresa, totalmente ofendido. Ninguém falou mais nada, climão total.

Gente do céu. Por que aquelas caras? Eu falei da letra e não da roupa dele. Alias que estava com uma jaqueta de motoquero muito cafona pra um dia de verão. Se eu não tava mentindo, ainda não entendi a mágoa.

sábado, 12 de janeiro de 2008

No trabalho

_ Cumão, Priscila, Bom Dia!
_ Alô, quem fala?
_ Oi é a Priscila.
_ Quem?
_ Priscila
_ Mas é do Cumão?
_ É sim. O que o senhora deseja?
_ Eu sou homem.

Parece brincadera, mas isso aconteceu comigo. Não é uma vez por mês ou semana. É toda hora. Sempre que vou atender o telefone sou obrigada a repetir esse texto e sempre me respondem desse jeito. Mereço gente surda.
Justo nesse telefonema que relato, penso eu que quem estava falando é uma véia. Bobagem. Era homem mesmo e que era aluno. Eu lá tenho culpa do cara falar enrolado?

domingo, 6 de janeiro de 2008

São Miguel Arcanjo

Terra que meu pai nasceu e onde alguns primos moram. Senti uma necessidade enorme de viajar e encontrar minha amiga que não via faz tempo e minha prima que acabou de ter dois bebês. Tomei um choque ao saber que a minha amiga está grávida. Levei quase três anos para revê-la, acho que ainda não caiu a ficha. Cheguei na casa dos meus primos e outro susto, um dos bebês (o menininho) saiu da UTI (graças), só esperamos a irmã dele sair também.

Foi bacana que revi muita gente que perdi contato. Conheci um povo legal, joguei muito bilhar com um povo "profissa". Levei um BOLO, menino desesperado me manda mensagem e mil ligações e ainda me da um bolo. Mereço.

SMA nunca muda, o povo se concentra na praça. Na casa do meu primo rolava uma "festinha", o povo jogava dados. Nossa, só caia numeros iguais (ai se fosse assim no War também) e junto vinha o vinho ( :P ).

Conversei muito com os meus primos e comi sushi (adoro). Mais uma comidinha pro meu repertório de jantares psicodélicos.

No dia seguinte não deu pra fazer muita coisa, foi mais ajudar a tia e conversar com os amigos. Legal foi rever um amigo. Conversamos bem pouco mas fluiu super bem. Parece que ele não mudou em nada em relação a personalidade. Isso é bom, ver quando a vida das pessoas mudam completamente pro bem e no final a gente se reencontra.

Quero entender porque passo tão mal em ônibus. Baixa a pressão tão rápido. todo mundo olha pra mim e fala depressa"faz isso, faz aquilo" só pra eu melhorar. Dramin por que não me acompanhais?

Lá vem a noiva

Engraçado que nesta foto todo mundo ta olhando pra direções diferentes. Não chegamos num acordo nem pra tirar fotos. Só eu vestida de social naquele calor.

O tão esperado casório. Meu vestido só ficou pronto de manhã. Todos no carro na hora certa e mesmo assim chegamos atrazados, com os noivos nos esperando na porta do cartório.

A Thamyres estava linda, radiante naquele dia em que ela era a rainha. Não resistimos e rimos muito quando o juiz falou a profissão dela "Consultora de modas". Agora é outro nome pra vendedora (rs). O tio Edson estava todo choroso, foi legal ver ele na rua 11:30 da manhã só de shorts, sem camisa e com um "raiban" na cara.

Na cerimonia, a daminha de honra chorou muito antes de entrar. A menina era muito novinha, acho que estranhou a roupa e todos olhando pra ela. Até eu que não sou chegada em choro em público soltei algumas (2) lágrimas. A primeira da turma a se casar. Foi bacana.

A festa foi uma comédia. A bateria do carro da Tati descarregou. Hilário ver o Goya empurrando o carro, logo a pessoa mais desengonçada.

O saco é que perdi meu baralho novinho do Harry Potter, da Copag. Dor no peito. Tô devendo muitos pulos pra São Longuinho se eu achar.

Hoje é festa la no meu apê...


Teve o 1° Manguatal na casa do Guilherme. Eu e as doidas da Thaísa e a Mari Girininho fomos na festinha. Povinho tudo de boa, geladeira cheia de cerveja, vodka e a sensacional Jurupinga. E malvada pinga, rs. Ela é feita de uva mas nem tem gosto forte. Experimentei a danada, mas duvido que vou achar de novo na cidade.
Pessoalzinho bacana, a casa do Gui é bonita e deu uma vontade de roubar o enfeite da mãe dele.
Pra mim, o melhor da noite foi ver a Mari com o Gui. Que casal fofo (literalmente). Tedouumadica: Quer se livrar de um ex mas sem perder a amizade? Apresenta pra amiga. hehe.
Festa na casa dos outros é sempre divertida. Ver o povo doido de Itapê se divertindo não tem preço. Pena que não vi ninguém caindo de bêbado, pena mesmo.

Puts Puts Puts

Adoro dançar desde pequena e acho mesmo que quem dança os males espanta. Fiz ballet e jazz por um ano e meio e quase voltei a fazer em 2007. Altos micos pagos dublando Chiquititas, Spice Girls e até Axé.
Na noite do casamento da Thamyres, dona Tati me liga convidando pra ir na baladinha do Space Lounge, perto de casa. De inicio tava bem vazio e tocando só black. Quando foi 2:00 da manhã a situação melhorou, começou a música eletrônica. Nunca fui muito fã mas mudei de opinião.
É tão bom dançar sem se preocupar com passos certos, só a batida da musica guiando os pés. Da até pra meditar escutando Psy. Vem um sentimento tão bom em nossas mentes.
Parece que to filosofando, mas é a real. Não precisa de drogas pra curtir o som, quem usa perde de viajar só com o som. Também não acho legal esse alarme todo contra festas raves, antes eu achava isso. Não precisa acabar com baladas por causas disso, é mais questão de organização policial, mas sem repressão.
O saco de Itapê é que o povo sai muito pra se aparecer e não pra curtir a festa. Vai para mostrar a roupinha nova e pra beijar. Os meninos parecem uns desesperados pra "catar" as meninas. Teve um que tentou me prensar e eu que sou um doce disse "Amigo... SAI DAQUI", ele escafedeu de medo, ri muito.

Ano Novo com as meninas do cursinho (Carol, Nayara,Gabi e a Alice) também foi louco. A balada estava bem estruturada, e ar livre é BEM MELHOR. Entrar na Vip sem pagar e beber a vontade Espanhola é muito bom.

Tenho que agradecer a Tati por ter me apresentado o Psy, com direito a explicações e uma lista com várias músicas bacanas. Bora pras PVT's!

Dias Perfeitos

Reconhecemos que um dia foi perfeito bem no final dele. A data fica marcada para sempre quando desde a manhã até a meia-noite tudo de bom e incrivel aconteceu. Sensação de que deveria ser feito um filme sobre ele.
No ano de 2007 eu tive três dias que ficarão na memória:

* 1° dia: Foi em Março, na quarta-feira eu tinha tomado a decisão de sair da fatec. Simplesmente não aguentava mais a facul e a casa dos meus tios. Na quinta estudei pacas de manhã e fui super bem nas matérias (com direito a elogios). De tarde joguei muito truco (ganhei) e bilhar (ganhei ganhei). Muita conversa jogada fora na cantina ("Rodada de suco pra galera").
A noite fui até o shopping Esplanada encontrar o Beto. Reparei que perdi minha carteira e até isso foi legal pois tive que andar MUITO nos terminais de ônibus, ainda bem que estava com a minha amiga.
Assisti aquele filme "A procura da felicidade" com o Will Smith, totalmente inspirador: Corra atrás dos seus sonhos, mas não espere que o caminho seja fácil. Só os determinados conseguem.
É considerado um dia perfeito porque me dediquei e aproveitei tudo que o dia ofereceu. Parece que a recompensa maior veio no final, considerar como meu amigo verdadeiro o Beto (Russo). Comer um MC Donalds no busão lotado também não é pra qualquer um.

*2° dia: :Foi no dia 27/10. A chegada dos frutinhas.
De noite eu nem consegui dormir. Fiquei preparando brigadeiro e arrumando a casa. Quando eles chegaram na rodoviária eu nem tinha me arrumado. Nossa, quantos risos e quantos micos. O susto na locadora Agapito ( "O Chico veio me visitar" ), a Assoni e eu saindo correndo pra trocar de roupa, o calor infernal cortou totalmente a fome.
O Richard e eu fomos "jogados" na sala de filme pornô da locadora (mico³). Assistimos a 1ª temporada dos Normais e do The Office.
A festa pra comemorar meu niver foi ótima, nem todos os amigos estavam lá, mas os que estavam foram extremamente carinhosos.
O dia foi perfeito porque não é todo dia que você vê seu irmão de intenet, o cara com o abraço ABSURDAMENTE gostoso e a menina mais tímida do mundo estão juntos com o povo mais louco da cidade .

http://meninasemveneno.blogspot.com/2007/10/pr-niver-com-festa.html

sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Maldito Vestibular

Esse ano resolvi prestar "só" duas faculdades: Enfermagem na PUC-SP (campus Sorocaba) e Psicologia na Unesp de Bauru. tinha passado na Fatec (que larguei) e na UFSCar, mas não eram em cursos que eu gostava.
A prova da PUC é muito chata, cheia de exageros e assuntos que eu desconhecia. A redação era baseada no Leonardo da Vinci, mas totalmente viajante. Prova muito extensa pra fazer em quatro horas e ainda fiz la no prédio da Medicina, um saco. Os alunos da faculdade não paravam de azucrinar os vestibulandos, batucando e cantando o hino deles. Foi legal de ver, mas eles fizeram isso também DURANTE a prova, esquecendo que muita gente estava ali não exatamente por aquela faculdade.

O saco maior é ir pro vestiba sem companhia. Peguei amizade com uma menina simpática da moda. Encontrei uma "veterana" dos vestibas (trucentos anos de cursinho) que me "adora" (uuu).

Enfim, passei no vestibular mas como não nasci em família rica não tive 950,00 contos pra pagar a matricula. A PUC nem lançou as bolsas e nem tinha conversa para reduzirem o preço. Minha mãe ficou super triste mas vai fazer o que, tem que estudar pra uma pública mesmo.

A prova da Unesp eu fiz bem sossegada. O primeiro dia dei de cara com muita matéria de exatas que não lembrava, a prova de biologia tava muito esquisita.
Fui de van com um pessoal bem bacana e inteligente (to torcendo por todos), conheci umas meninas super legais. Comi muito e me entupi de pó de guaraná, depois das provas eu estava elétrica demais ( :P ).
A 2ª prova deu pra resolver tudo mas o tempo era muito curto, então a minha ficou um lixo total. O 3° dia foi o mais calmo de todos e a redação estava light.

De boa, não aguento mais ver o povo de Itapê fazendo prova. Me irrita profundamente encontrar aqueles "semi-conhecidos" e aquele papo "Nossa, você por aqui.. ta prestando medicina? (rs)". Pior é aqueles que estavam na pré escola fazendo prova junto com você.
Vontade maior é de bater nos fedelhos treineros que ficam comentando sobre as questões e falam "Pouts ... será que 'os CARAS' vão considerar isso?".

Eu mereço. Rezo desde que daqui pra frente seja só concurso, e que sejam um ou dois no MáXIMO. Não nasci pra fazer prova. Fui.