quinta-feira, 11 de outubro de 2007

ô gente estressada viu!

Eu amo a minha mãe mas ela é bipolar.Do nada sobe a serra, que no caso dela é o monte Everest.
Acabou de surgir um pepino do cartão de crédito dela. Isso é mais uma prova que a "véia é loka".

"Banqueiro não dá ponto sem nó, tira dinheiro até de pingo d'água" foi a conclusão que eu tive no meu primeiro dia de técnicas bancárias. Só a minha mãe, professora de história e no auge dos seus 50 e tantos anos não sabe que produto de banco tem que pensar muito pra aceitar, PRINCIPALMENTE cartão de crédito.

A história é assim: o Santander mandou um cartão de crédito pra Mamis sem a autorização dela. Ela deixou paradinho lá, esquecido. Um dia a dona "tenho contas em todos os lados" ficou sem dinheiro e flertou com o cartão. Deu um mês o "Santa" ligou em casa e ofereceu outro cartão, desta vez NO MEU NOME pra ser um "extra" pra tia Maga e esta eufórica aceitou. Resultado, chegou em casa para ser meu cartão de mesada. Nunca foi desbloqueado, aceitou de alegre.

Agora ela ta vendo o resultado de pagar taxa de anuidade (absurda) e as outras despesas de ter um cartão que não usa. Fala sério. A parte legal é que virou a minha função em cancelar o cartão. Eu adoro falar com telemarketing e uma coisa que me relaxa.

O banco é tão gente boa que não tem nem serviço especial pra isso. Quando digito a linha misteriosamente cai e nem conversar com um atendente consigo.

Neste momento minha mãe esta no meu ouvido, como se a culpa fosse minha.
Afff... fluoxetina na caixa d'gua desta casa.

Um comentário:

evao do caminhao disse...

caraio, eles são mesmo foda

e qdo vc fala não ainda tem q justificar

não pq não porra