domingo, 28 de outubro de 2007

Pré-Niver com A festa

Conforme uma tradição não-oficial de celebrar meu niver em final de semana, neste sábado chamei a galera e fiz uma festinha.De quebra vieram meus amigos do coração de Frutal, a terra do abacaxi (e dos frutinhas). heheFoi um mico atras do outro (da minha parte) e muita bobagem dita (da minha parte também).


O uso da internet é muito questionado, mas foi através dela que pude encontrar essas pessoas tão adoraveis, não só eu fiquei feliz como o Goya também.



O que é aniversário sem "Parabens pra você"? Definitivamente é a música mais chata de todos os tempos, mas tradição é tradição.



Essa foto tem dois detalhes ótimos: os fósforos no lugar da vela (ops) e o meu decote. Indecencia!

Thamyres, Eu e a Carol. hehehe Tadinha da Thamy, acho que ela se arrepende a cada minuto da minha mãe ter adotado ela como filha... hehehe.

Enfim nem todo mundo que eu convidei apareceu (uma pena), mas as pessoas que apareceram são imensamente especiais pra mim e foram responsáveis pelo meu aniversário infantil mais legal depois de véia.Valeu por vocês terem comparecido. hehehe. Pena que não teve a cerveja... mas eu avisei que era aniversário de CRIANÇA.







terça-feira, 23 de outubro de 2007

Nos correios...

Priscila: Moça, se eu deixar essa carta ali na caixa, vocês vão recolher hoje?
Atendente: Pode deixar aqui moça.
Priscila: Ah ta obrigada.

Quando virei de costas

Atendente: Mocinha, volta aqui por favor. (séria).
Virei (com a cara de preocupada)
Atendente: Quem é Winnie Cooper?
Priscila: Ah ta... é uma person... (interrompida)
Atendente: É uma pessoa física? Ela existe?
Priscila: Existe sim.

Nessa vieram 1000 gatos pretos com pintas brancas e soltaram um MIAAAAAAAAAAU lascado.

sábado, 20 de outubro de 2007

Sleeep...


Olha que pensamento bonitinho que eu tive hoje.

Minha tia veio aqui e a gente estava conversando sobre a coluna e exercicios para não machucá-la mais. Ela me ensinou umas atividades de RPG e até umas técnicas de fisioterapia.

Nesta ela me mostrou um jeito certo de dormir, que é de ladinho meio com a perna dobradinha e com um travesseiro entre a perna e a barriga. Pra complementar, o certo é abraçar o travesseiro.

É tão gostoso dormir assim. Grudadinho e protegido.

Isso prova que os seres humanos NASCERAM pra dormir de conchinha. Não é o Máximo.

Se é a mesma posição de estar na barriga da mãe é que PRECISAMOS dormir assim e só bons sonhos. ô vida boa. hehe.



quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Pra todo Mal tem uma cura

Hoje eu descobri que eu tenho uma vértebra a mais na minha coluna sacra.
Eu nem sabia que eu tinha uma coluna sacra quanto mais essa tal vértebra.

No exame estava escrito "vértebra sinistra". Sinistro pra mim era aquele fato ocorrido que te proporciona o "pagamento" de seguro. Caraleo!!! (to muito besterenta ultimamente).

O mais bizarro é que o medico disse que provavelmente as minhas dores nas
costas NÃO TEM NADA HAVER com isso. Que deve ser algo com o nervo ou algo assim. Recomendou repouso (haha) e compressas, além dos inúmeros remédios mais 3 dias de injeção (dolorido pra xuxu).Saco!

O pior é aguentar as minhas Chefes. Alem de ter nascido com um problema na coluna (sou deficiente? *_*) e ter essa dor toda, ter que aguentar "Não pode faltar" é fogo. O que as pessoas esperam que faça? Que eu trabalhe chorando de dor? Sem vocação pra Pollyanna ( tá eu sou Polly). Doutor mandou repouso e eu faço TUDINHO que o doutor manda.

Meu pai ta puto pois o médico disse que o remédio mais caro que ele comprou é uma porcaria. "Igual água". Deve ser fogo para os meus pais verem a filha sofrendo tanto assim. Não paro de chorar e reclamar, tudo ainda sem explicação apesar dos inumeros remédios.

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Dor é psicológico

Eu devo ser uma das pessoas mais azaradas da terra.
Faz mais de um mês que não passo um dia da minha existência sem ter algum problema corporal. Ieca!

Durante a semana foi o nervo ciático (s?) que atacou, a garganta foi a sorteada no final de semana e a minha segunda-feira meu estômago entrou em crise.Não consegui comer nada. Pela primeira vez na vida tomei gatorade pra tentar repor algumas vitaminas.

Se tem o lado bom de ficar doente? Claro. A gente emagrece ? Alem de ser mimada pela mãe (quer suquinho? sopinha?). Não aguento mais passar mal todo o dia. Preciso correr pro médico.

Credo que deprê. Meu niver é na outra semana e eu reclamando que nem velha. Nem minha Cidão, com 90 anos de idade, diabetes e osteoporose, reclama tanto de dor no corpo que nem eu.

P.S.: Noticia boa. Pela primeira vez na minha vida me sinto mais magra que a Britney!

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

ô gente estressada viu! (segunda parte)

Cartão de crédito,pra mim, é que nem camisinha. Por que vou ter uns treco desses na carteira sendo que eu não uso, para fazer volume?

Eu sei que ambos todo mundo tem necessidade de usar. Eu não tenho.
Repito: Por que eu tenho que ter na carteira?
Minhas necessidades são diferentes do resto da população.Será que é difícil entenderem.

A moça tentou argumentar: usa vai, é mais seguro. Nem que seja por garantia
para uma eventualidade.
_ Mocinha eu sei que é sua função é promover a utilização do produto. Eu não vou usar. Dificilmente surge uma situação em que é necessário usar.

Acho que vou ter que desenhar.

Piada básica: O que o Cebolinha, o Bill Clinton e o Renan Calheiros tem em comum?
Os três tem uma Mônica dando problemas e enchendo o saco. :P

ô gente estressada viu!

Eu amo a minha mãe mas ela é bipolar.Do nada sobe a serra, que no caso dela é o monte Everest.
Acabou de surgir um pepino do cartão de crédito dela. Isso é mais uma prova que a "véia é loka".

"Banqueiro não dá ponto sem nó, tira dinheiro até de pingo d'água" foi a conclusão que eu tive no meu primeiro dia de técnicas bancárias. Só a minha mãe, professora de história e no auge dos seus 50 e tantos anos não sabe que produto de banco tem que pensar muito pra aceitar, PRINCIPALMENTE cartão de crédito.

A história é assim: o Santander mandou um cartão de crédito pra Mamis sem a autorização dela. Ela deixou paradinho lá, esquecido. Um dia a dona "tenho contas em todos os lados" ficou sem dinheiro e flertou com o cartão. Deu um mês o "Santa" ligou em casa e ofereceu outro cartão, desta vez NO MEU NOME pra ser um "extra" pra tia Maga e esta eufórica aceitou. Resultado, chegou em casa para ser meu cartão de mesada. Nunca foi desbloqueado, aceitou de alegre.

Agora ela ta vendo o resultado de pagar taxa de anuidade (absurda) e as outras despesas de ter um cartão que não usa. Fala sério. A parte legal é que virou a minha função em cancelar o cartão. Eu adoro falar com telemarketing e uma coisa que me relaxa.

O banco é tão gente boa que não tem nem serviço especial pra isso. Quando digito a linha misteriosamente cai e nem conversar com um atendente consigo.

Neste momento minha mãe esta no meu ouvido, como se a culpa fosse minha.
Afff... fluoxetina na caixa d'gua desta casa.

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Ui.



Falar que eu sou bonita só aceito em cantadas.

Eu to sento sincera. Não é que eu odeio esse tipo de elogio, mas no ouvido de quem ja escutou "Você é uma monstra" soa muito falso. Alem do fato que é uma coisa que me deixa MUITO sem graça.

Eu não me acho bonita e sim arrumada.

Mas vamos ser sinceros, em cantada é que a gente pode responde de verdade um "obrigada". Fora disso eu só vou achar que é educação.
Não é baixa auto-estima e muito menos o fato de eu ser convencida (coitada de mim).


P.S.: Eu não uso photoshop... é corel drall* (não sei como escreve).

Help me!

Eu confesso: Detesto dar aulas.Não é minha praia e fim de assunto.

Quando tinha aquelas brincadeiras de “escolinha” em casa, eu queria ser aluna mas por ser mais velha tinha que ser a professora.Com sorte eu era a diretora que chegava e dizia: “O que ta acontecendo aqui? Respeitem a professora” e saia.

Na escola eu era sempre “aquela com a cabeça nas nuvens” e não ligava pra isso. Só fazia minhas tarefas e acabou. Tinha dó dos professores porque eles sempre estavam gritando e sempre vi minha mãe chegar em casa detonada do trabalho. No CEFAM isso chegou a ser problema porque no meio de alunos “dedicados” (paga-pau), fazia parte de uma turma que “Não gosto disso, não quero isso pra mim, só to aqui pela bolsa”.

Ficou na minha mente que eu não queria ser professora e duvido que sairá isso de mim. EU NÃO QUERO SER PROFESSORA. Não quero ser aquela criatura estressada, que ganha pouco e não tem o devido respeito. Não quero fazer carreira em algo que EU NÃO QUERO MORRER FAZENDO. Não quero trabalhar em algo em que as reivindicações não são atendidas.

É óbvio que é uma profissão digna e muito bonita. É MUITO legal quando percebe que alguém entendeu o que você explicou, que provavelmente se levará esse pensamento para o resto da vida. É muito show pensar que talvez vão lembrar de você assim como eu lembro de muitos professores que realmente me marcaram. Eu confesso que eu gostaria de ver um desses “pequenos” chegar e mim e falar “Você foi minha professora agora eu acabei de entrar na faculdade”. Eu fiz isso.

Educar o filho dos outros não dá e dizer: Assoa o nariz, vira e faz a lição, senta que você vai cair da mesa, não bate nele, pare de gritar, presta atenção, não joga papel no ventilador. Isso não é função de professor. Esse tipo de educação quem dá é os PAIS.

São coisas que me irrita profundamente. Por que tem estatuto protegendo a criança e o adolescente mas não tem protegendo o profissional? Pura sacanagem.

Acontece que eu não tenho amor pela profissão principalmente na parte de encarar alunos em sala de aula. Mas garanto que ninguém tem amor se continuar desse jeito.

O que mais me irrita é eu perder o meu senso de humor. Hehehe. Cara se continuar assim nem AVON eu vou vender mais.

terça-feira, 9 de outubro de 2007

É feia mas ta na moda


Eu resisti bravamente durante dois meses. Fiz cara de eca, falei que não ia vestir. Resposta final: MeDONHA.Paguei com a língua porque comprei. hehehe.

As sandálias crocs são definitivamente os sapatos mais confortáveis que existem.´

É moda da Europa e nos Estados Unidos e ta pegando aqui no Brasil.

De inicio achei feia mesmo, por ela ser muito grande e ter um formato diferente. Mas ela é extremamente gostosa de usar e muito boas pra quem tem que ficar o dia todo de pé. O legal dela é que também não fica chulé no pé e é super leve. hehehe. A minha é uma pérola que combina com tudo.
Fui com ela trabalhar e minhas alunas olharam pro meu pé "professora, a senhora ta usando? que legal".
Pena que elas são caras (89 reais), mas é um produto que vale a pena.


segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Trabalho e Suor

Estreando o mês de Outubro. Caramba quanta coisa pra fazer. Para os poucos que não sabem eu estou trabalhando. Hehe. Não são EMPREGOS DE VERDADE (aqueles que você fica o dia inteiro e recebe salário fixo), mas me oferecem certo tempo e estabilidade pra estudar.

Peguei uma sala de reforço de segunda série e ajudo no Kumon durante duas manhãs da semana. E dei aulas durante alguns dias numa escola num bairro bem pobre daqui. Alguns dos alunos eram literalmente "filhos da P." e é meio assustador. Duas crianças brigaram durante a minha aula de um jeito que eu nunca vi ADULTOS, nem mesmo no cinema, lutando daquele jeito. Eles tinham nos olhos uma raiva que de verdade comoveu.

Vai soar como um preconceito mas do que a adianta o trabalho da escola se não há pais contribuindo pro crescimento do filho. Como eu vou dizer pra uma aluna "Pare de brigar" sendo que na casa o pai fala "Se ele encher o saco ARREBENTA ". É um contraste muito grande, principalmente quando se as crianças de colégio particular. Os pais normalmente, por estar pagando, cobram mais resultados dos filhos. Eles buscaram qualidade pois sabem que as ESCOLAS DO ESTADO DE SÃO PAULO estão um fiasco.

Não há livros didáticos para as crianças, não apresentaram um método de ensino uniforme para os professores e criaram um sistema de progressão continuada que não funciona. Este sistema na teoria é lindo, a criança teria uma consciência sobre o que esta atrasada e permanece na mesma série. Criança nenhuma tem isso, eles adoram quando sabem que podem passar de ano sem estudar e ano que vem a mesma coisa. Chegarão a 3ª série do Ensino Médio sem poder escrever uma redação e não terão condições de enfrentar o vestibular de uma faculdade publica.
Educação pública de qualidade não é impossível. Aqui em Itapetininga foram criadas várias escolas municipais muito boas e que oferecem apostila aos alunos, merenda e um salário razoável para os funcionários. Há cobranças para que as escolas sejam boas e é carro chefe dos políticos daqui.

No kumon eu percebi que tem que se desenvolver nas pessoas o senso da dedicação e do estudo. Não se é ensinado às pessoas que tem que se estudar BEM e SEMPRE. Desde pequeno, o ideal é criar o habito do estudo com horário.

É super triste ver como a Educação é tão abandonada do governo e cresce esse abismo entre os que podem pagar e os que não podem. Esquece-se muito que a instituição escolar é formadora de opinião e que muitos desses desastres sociais seriam superados se houvesse todo um apoio.