segunda-feira, 10 de setembro de 2007

A procura da relação perfeita? Não mesmo

Imagino o casamento de duas maneiras. A primeira é a festa, a fortuna que se gasta para ter um vestido que só se usa uma vez, os parentes mais indesejáveis na sua casa. Resumindo, pagr durante um bom tempo para ter um "dia dos sonhos". Não sei o que é isso, ja que só pelo fato de ser a noiva, o open bar não está disponível. O que adianta ser a pessoa que banca a festa e nem poder tomar todas? Fora que todo casamento tem um parente chato dando vexame e uma briga de "macho".

A segunda maneira que eu vejo o casamento é com o divórcio. Você só conhece quem casou no momento da separação de bens: Casa, jóias e a guarda dos filhos com a mulher; carro, casa da praia e a amante com o homem. Briguinhas básicas.

Não consigo entender porque as pessoas ainda apelam pro "sagrado matrimônio". Tá bom... o amor (ou o sexo).

Muitas vezes se esquece que trocar as alianças não é só viver debaixo do mesmo teto. Na verdade é fazer a casa NÃO cair. Acho que o sucesso dos casamentos que vi até agora foi esse malabarismo para se manter unido a outra pessoa.

Resumindo: Casamento não começa a partir da cerimonia e não termina exatamento com a assinatura perante o juiz. Trata-se daquela convivencia, o tal do dia a dia. Os relacionamentos mais longos que vi até agora não são nem de longe os que são tidos como perfeitos. Tem que se ter a famosa calma, ou o "jogo de cintura".

Por mais que não entenda direito do que se trata essa instituição chamada "Casamento", desejo aos "pombinhos" e "futuros pombinhos" que conheço muita felicidade.

p.s.:Eu me casar? Não... não está nas cartas :P

Um comentário:

Leon disse...

casamento não é um namoro 'pra sempre. também é mto diferente de 'morar junto'. Você falou bem na questão do malabarismo para ficar junto.
A grande questão é que ninguem quer ficar sozinho, e chega uma hora que não existe mais a azaração. Acho também que não tem graça nenhuma em construir coisas sozinho. Talvez eu me case, ainda não sei com quem. Mas eu quero construir uma família, um legado, lutar por algo que não seja só meu.